Anterior1 de 3Próximo

O Estádio do Dragão encheu-se por completo para receber a primeira meia-final da Liga das Nações. Portugal defrontou a Suíça, jogando em casa, mas previa-se um jogo extremamente equilibrado. Os XI inicial escolhido por Fernando Santos reuniu, nas horas que antecederam o jogo, a satisfação da grande maioria dos portugueses e o grande motivo de destaque seguiu para a titularidade de João Félix, naquele que foi o seu primeiro jogo oficial pela seleção nacional. Do outro lado, eram várias as caras conhecidas com especial relevância para Seferovic, o melhor marcador da Liga NOS.

Portugal, como já nos tem habituado, não entrou dominante no jogo e por isso mesmo foi a Suíça quem nos primeiros dez minutos da partida mais bola teve, mais atacou e praticou o jogo no seu meio campo ofensivo, sem nunca criar grande perigo para a baliza de Rui Patrício.

A equipa das quinas conseguiu restabelecer-se, equilibrou a partida, mas foi constante a superioridade da Suíça no capítulo da posse de bola, ataques e número de oportunidades. O jogo perdeu-se no setor intermediário e entrou num registou pouco atrativo, onde apenas contrastaram as tentativas de golo de Ronaldo e Seferovic.

Aos 25 minutos, o inevitável Cristiano Ronaldo voltou a marcar a diferença e na cobrança de um livre de longa distância, colocou Portugal na frente do marcador.

O golo trouxe confiança aos portugueses e impulsionou o movimento ofensivo, permitindo pela primeira vez na partida que a seleção nacional tivesse controlo e assumisse as rédeas do jogo, embora nunca conseguindo derrubar a linha defensiva adversária.

Não obstante a toada de jogo mostrasse um Portugal mais confiante e seguro de si próprio, foi mesmo a Suíça que em cima do apito para intervalo esteve perto de marcar com Seferovic rematou à barra da baliza de Rui Patrício, na melhor oportunidade do primeiro tempo.

Portugal seguia em vantagem para o intervalo, num resultado que se devia unicamente a uma inspiração individual do suspeito do costume.

Ronaldo faz o primeiro da partida na cobrança de um livre
Fonte: UEFA

A forma como a primeira parte demonstrou as fragilidades de Portugal perante a Suíça, deixava bem patente a ideia de que a eliminatória estava longe de estar resolvida e os helvéticos estavam bem cientes dessa realidade.

Repetindo-se o cenário dos primeiros 45 minutos, a Suíça voltou a entrar bem em campo e poucos minutos depois chegou à igualdade num dos lances mais estranhos da história recente do futebol. Num lance em que Nélson Semedo corta nitidamente com a cabeça, o Var e o árbitro da partida, Felix Brych, assinalaram grande penalidade. Na conversão, Ricardo Rodriguez não vacilou e fez o 1-1 na partida.

Num filme já antes visto, a seleção portuguesa mesmo sem fazer por merecer, deixa escapar a vantagem conquistada e por estar claramente abaixo do seu potencial encaminha o jogo para um verdadeiro impasse. Assim, a Suíça continuou atrevida no ataque e acreditou que podia causar surpresa no Dragão, mas mais uma vez chegou o super-homem do filme:

Cristiano Ronaldo. Quem mais poderia ser?

Aos 88 minutos, numa jogada brilhante, Bernardo Silva recebeu de forma eximia o passe de Rúben Neves, cruzou para a entrada da área e Cristiano Ronaldo lançou Portugal para a final de Domingo.

Bem à sua maneira, Ronaldo não ficou satisfeito e em cima do minuto 90 fez o hat-trick, com uma típica jogada sua em que flete da ala para o centro e remata para o ângulo mais distante.

Mais uma vez Portugal não foi dominante, mas mais uma vez também mostrou que a esperança é o que move o país e por isso esta foi mais uma noite em que a seleção nacional foi feliz já próximo do final da partida.

Fernando Santos volta a fazer sofrer os portugueses, mas o que é certo é que Portugal marcará presença na primeira final da Liga das Nações.

Onzes e substituições

Portugal

Rui Patrício; Nélson Semedo; Pepe (Fonte´56); Rúben Dias; Raphael Guerreiro; Bruno Fernandes (Moutinho´91); William Carvalho; Rúben Neves; Bernardo Silva; João Félix (G. Guedes´70); Ronaldo

Suíça

Sommer; Mbabu; Schar; Akanji; Ricardo Rodriguez; Zakaria (E. Fernandes´71); Xhaka; Freuler (Drmic´89); Zuber (Steffen´83); Shaqiri; Seferovic

Anterior1 de 3Próximo

Comentários