Apuramento Mundial 2022, Jornada 6: terça-feira, 17h00, 6 de setembro 2021
ANTEVISÃO: NÃO HÁ RONALDO, MAS OS GOLOS NÃO PODEM FALTAR

Estranhos têm sido estes tempos para a Seleção Nacional. Olhamos para as convocatórias de Portugal e vemos jogadores que todos os fins de semana brilham nas melhores ligas do mundo. Duas, três, às vezes quatro opções de grande qualidade para cada posição. Se esta não é a geração mais talentosa de futebolistas portugueses de todos os tempos, consegue, no mínimo, rivalizar de perto com a dos magriços e a que se dizia ser “de ouro”. Ao mesmo tempo, as exibições têm sido sofríveis e o lugar de Fernando Santos nunca foi tão questionado.

OS PORTUGUESES QUEREM CONTINUAR SEM DERROTAS NA FASE DE QUALIFICAÇÃO E DEFRONTAM UMA EQUIPA QUE CRIOU MUITAS DIFICULDADES À FINALIZAÇÃO LUSA. PODERÁ SER DIFERENTE AGORA? APOSTA JÁ EM BET.PT!

A falta de “nota artística” na Seleção de Portugal é, há muito tempo, de discussão. Diga-se que as equipas do “engenheiro” sempre priorizaram o resultado em detrimento da exibição e que esse até foi o mote durante o Europeu de 2016. Fernando Santos pareceu sempre conseguir contornar jogos menos bons com vitórias e com um certo desenrascanço que a nós portugueses nos diz tanto.

Em relação a esses tempos mais risonhos, há duas diferenças fundamentais: em primeiro, a um conjunto de jogadores como o que temos em 2021, pede-se mais do que apenas resultados; a segunda, e mais determinante, diferença, é que essa perspetiva “resultadista” perde validade quando não se ganha. Portugal ficou atrás da Ucrânia na qualificação para o Euro 2020, ficando depois aquém das expetativas nessa competição e não vai defender o título da Liga das Nações.

Anúncio Publicitário

Neste momento, é altura de deixar conquistas e derrotas passadas para trás e pôr mãos à obra a pensar no Qatar, a começar por uma vitória convincente em Baku. Com a Sérvia a não desarmar do primeiro posto, é absolutamente proibido escorregar nos jogos que faltam. Não esquecer que o primeiro fator de desempate é a diferença de golos, pelo que uma vitória volumosa pode fazer toda a diferença. O Azerbaijão, apesar de modesto, já deixou claro que vai vender cara cada derrota no grupo e vem de um moralizador empate frente à Irlanda.

Em março, no jogo da primeira volta em Turim, Portugal venceu com um autogolo de Medved, ao minuto 36, mas a exibição lusa deixou muito a desejar. Perante uma equipa azeri muito fechada, o ataque português teve muitas dificuldades em sequer criar oportunidades e o melhor que saiu daquela noite gélida, em todos os aspetos, foram mesmo os três pontos.

Agora, mesmo a jogar em casa, a estratégia do Azerbaijão não deve mudar, pelo que a Seleção vai ter de lidar com sete ou oito jogadores que vão estar constantemente atrás da linha da bola. A defesa de Portugal, que tem sofrido mais do que o habitual, pode esperar uma tarde relativamente descansada, mas o jogo vai pedir imaginação e eficácia, dois ingredientes que têm faltado ao ataque.

 

10 DADOS RÁPIDOS
  1. Portugal e Azerbaijão defrontam-se pela oitava vez. O histórico é favorável aos portugueses, com seis vitórias e um empate.
  2. Esta é a quarta vez que a Seleção visita o Azerbaijão, tendo vencido em duas ocasiões e empatado noutra.
  3. Em setembro de 1999, Portugal não foi além do 1-1, numas deslocações mais complicadas da história recente. Zaur Tagizade abriu o marcador aos 51´e só aos 90+3’ é que Figo fez o golo do empate.
  4. Esse golo de Tagizade foi o único que a Seleção azeri marcou a Portugal.
  5. Na última vez que visitou Baku, em 2013, Portugal ganhou por 2-0, com golos de Bruno Alves e Hugo Almeida.
  6. Dessa equipa apenas Rui Patrício e Pepe estão a trabalhar com a Seleção.
  7. Curiosamente, Cristiano Ronaldo também falhou esse jogo, por ter visto um amarelo na jornada anterior, em Israel.
  8. A maior vitória portuguesa sobre os azeris foi em março de 1999, num jogo disputado em Guimarães: 7-0.
  9. O central Hugo Basto é o único português na Liga azeri. Transferiu-se este verão do GD Estoril Praia para o Neftçi Baku PFK.
  10. Renat Dadashov, do CD Tondela, é o representante do Azerbaijão na Liga portuguesa. O avançado de 22 anos é sete vezes internacional, mas não está convocado.

 

JOGADORES A TER EM CONTA

Emin Makhmudov – O médio azeri até já passou por Portugal, mas os 12 jogos pelo Boavista FC em 16/17 não deixaram grandes recordações. Aos 29 anos, representa o Neftchi e transportou a veia goleadora do clube (cinco golos em 10 jogos) para a seleção, com dois belos golos frente ao Luxemburgo e à República da Irlanda.

Otávio – O mais recente “reforço” da Seleção nacional entrou com uma exibição interessante e um golo frente ao Qatar. Depois da primeira internacionalização, o médio do FC Porto espreita a titularidade e pode ser uma das peças-chave para dar outra engrenagem ao meio-campo português.

 

XI’S PROVÁVEIS

Azerbaijão: Magomedaliev; Medvedev, Abbas Huseynov , Elvin Badalov; Azer Salahli; Qara Qarayev, Ozobic, Makhmudov, Alasgarov, Bayramov; Emreli

Treinador: Gianni De Biasi

A esperança é a última a morrer. Gostava de lembrar que o Fernando Santos ainda me deve uma garrafa de vinho do Porto, porque se tornou selecionador português graças a mim”

 

Portugal: Rui Patrício; Cancelo, Rubén Dias, Danilo Pereira, Guerreiro; João Moutinho, Otávio, João Mário, Bruno Fernandes; Diogo Jota, André Silva

Treinador: Fernando Santos

“Temos de encarar os quatro jogos que faltam como finais. Amanhã vamos ter de ser uma equipa muito forte, o Azerbaijão é muito bem orientado pelo Di Biasi, defende bem. Nunca perderam por mais de um golo e espero que amanhã seja diferente”

 

PREVISÃO DO RESULTADO: AZERBAIJÃO 0-3 PORTUGAL

 

Artigo revisto por Joana Mendes

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome