cab seleçao nacional portugal

Portugal está a um passo de garantir a presença no Campeonato da Europa de futebol sub-21. Esta quinta-feira, em Alkmaar (Holanda), a seleção portuguesa bateu os holandeses por 2-0 e colocou-se na frente no play-off de acesso à fase final, na República Checa.

No primeiro jogo do tudo ou nada para a equipa lusa, Rui Jorge apostou em José Sá para a baliza e deixou o eixo defensivo para o quarteto composto por Ricardo Esgaio, Paulo Oliveira, Rúben Vezo e Raphael Guerreiro. No miolo, o selecionador português lançou Bernardo Silva, Rúben Neves, Rafa e Sérgio Oliveira para trazer mais força ao meio-campo e conseguir servir Ricardo Pereira e Ivan Cavaleiro, os escolhidos para a frente de ataque.

A jogar em casa, a “laranja mecânica” entrou melhor no jogo e aos quatro minutos assustou, ao rematar a bola à trave da baliza defendida por José Sá. Apesar da entrada forte da equipa holandesa, Portugal respondeu de imediato e tomou conta do jogo a meio-campo. Com Bernardo Silva em destaque, o meio-campo português foi superior aos três jogadores escolhidos por Adrie Koster e impôs o ritmo do jogo.

A solidez do meio-campo português foi decisiva no desfecho final  Fonte: fcupdate.nl
A solidez do meio-campo português foi decisiva no desfecho final
Fonte: fcupdate.nl

Com o centro do terreno sob controlo, os jogadores portugueses, através de um estilo de jogo de passes rápidos e combinações entre médios, extremos e laterais, conseguiu por várias vezes chegar perto da área holandesa, mas sem grande perigo para o guardião holandês, Warner Hahn. A superioridade portuguesa ficaria, no entanto, comprovada na última jogada ofensiva do primeiro tempo. Aos 45+2 minutos, depois de uma boa jogada de envolvimento por parte dos jogadores portugueses, Bernardo Silva foi derrubado dentro da área e  árbitro não hesitou em apontar para a marca do penalty. Chamado a marcar, o capitão de equipa, Sérgio Oliveira, não tremeu e fez o golo de Portugal.

Anúncio Publicitário

Na segunda parte, Portugal entrou mais forte e com mais solidez defensiva. Se na primeira parte a vertente defensiva foi descurada pela equipa lusa, o segundo tempo fica marcado pela grande capacidade defensiva apresentada por Portugal. Rui Jorge manteve o meio-campo e, perante a falta de inovação e dinamismo do meio campo holandês, voltou a tomar conta do encontro. Portugal aumentou o ritmo e a Holanda teve dificuldades em acompanhar a seleção nacional. Bernardo Silva e Rafa apresentaram-se nos segundos 45 minutos como dois quebra-cabeças para a formação “laranja”, enquanto Ivan Cavaleiro era uma seta apontada à baliza.

Com Portugal a controlar o jogo e a adivinhar-se o segundo golo, Rui Jorge tirou Ivan Cavaleiro para lançar Carlos Mané, extremo do Sporting. Encostado à linha, o jogador leonino mexeu com o jogo e até tentou o golo com um remate aos 76 minutos, depois de uma primeira tentativa de Sérgio Oliveira ter sido interceptada.

Ivan Cavaleiro foi sempre uma seta apontada à baliza holandesa  Fonte: telegraaf.nl
Ivan Cavaleiro foi sempre uma seta apontada à baliza holandesa
Fonte: telegraaf.nl

Já com Ricardo Horta e Iuri Medeiros em campo (entraram para os lugares de Ricardo Pereira e Rafa, respetivamente), Portugal chegou ao golo da tranquilidade por intermédio de Carlos Mané. Depois de uma grande jogada individual em que deixou pelo caminho dois defesas holandeses, o camisola 23 das “quinas” ficou frente-a-frente com o guardião. Perante Warner Hahn, o extremo não vacilou e colocou Portugal a vencer por 2-0. Até ao final, a equipa portuguesa ainda teve a oportunidade de aumentar a vantagem, mas Iuri Medeiros rematou por cima quando só faltava bater o guarda-redes.

Com a vitória em território holandês, Portugal está mais perto de garantir o seu lugar na fase final de um Campeonato da Europa. Depois de ter chegado ao play-off só com vitórias, a equipa orientada por Rui Jorge pode voltar a marcar presença numa fase final de um Euro sub-21 oito anos depois da última participação.

A segunda mão da eliminatória está marcada para a próxima terça-feira em Paços de Ferreira. O pontapé de saída tem início marcado para as 17h00.

 

A Figura

Bernardo Silva – o jovem médio português foi o timoneiro de serviço para Rui Jorge. A equipa portuguesa girou à volta do ritmo imposto pelo jogador do Mónaco e o médio soube comandar os colegas de equipa.

O Fora de jogo

Meio-campo holandês – incapazes de fazer frente aos jogadores escolhidos por Rui Jorge, os jogadores holandeses andaram perdidos pelo relvado e foram presas fáceis para a organização do miolo português.