Anterior1 de 4Próximo

Cabeçalho Seleção Nacional

Fernando Santos promoveu 3 alterações no onze inicial com as entradas de Antunes, João Mário e William com as saídas de Raphael Guerreiro (lesão) e de Moutinho e Bernardo Silva. De destacar também a continuidade de André Silva após uma boa dupla com Ronaldo no jogo com Andorra onde ambos faturaram com Ronaldo a marcar por 4 vezes e André Silva a estrear-se a marcar com a camisola das quinas.

Jogo em que Portugal entrou com pouco acerto nas suas ações com o meio campo português com dificuldade em ter bola devido à alta pressão dos nórdicos sobre o portador da bola mas que rapidamente conseguiu contornar e pôde, assim, controlar o jogo e criar várias oportunidades de golo.

Esse bom momento culminou com o golo de André Silva aos 12 minutos a coroar uma melhoria no jogo após uma boa transição ofensiva de Portugal .

Sempre que Portugal acelerava o jogo, a defesa das Ilhas Faroé sentia problemas recorrendo a um jogo mais faltoso para travar as iniciativas portuguesas. E, naturalmente, Portugal criava problemas e chega ao 0-2 por intermédio de André Silva com um cabeceamento oportuno após um ressalto vindo do guarda-redes e onde o jovem ponta de lança portista coloca o esférico na baliza fazendo o segundo de Portugal e o segundo da conta pessoal. Destaque para João Mário que está diretamente ligado aos dois golos.  A estratégia defensiva das ilhas faroé desmoronou-se com estes dois golos nos primeiros 25 minutos, onde a estratégia de contenção e de manter o nulo e tentar, num lance de bola parada um golo, não deu resultado.

Anúncio Publicitário

Como não há duas sem três, hattrick do menino prodígio da seleção André Silva aos 37’ com mais um golo cheio de oportunismo após uma defesa incompleta do guarda redes nórdico a remate de João Cancelo.

Uma primeira parte em que Portugal entrou inseguro, mas que rapidamente entrou em forma, carburando como seria de esperar e acabando a primeira parte com domínio sobre as Ilhas Faroé, equipa que não fez qualquer remate à baliza de Rui Patrício.

Na segunda parte, mesma entrada em jogo com não muito convicta com a seleção portuguesa a deixar as Ilhas Faroé trocarem mais a bola e ter mais iniciativa mas rapidamente essa iniciativa se desvaneceu, prevalecendo o domínio de Portugal que naturalmente marcou o 4º golo por intermédio de Ronaldo, a culminar uma boa combinação com João Mário, num remate de pé esquerdo.

O jogo manteve a toada até ao seu desfecho, com Fernando Santos a providenciar mais uma internacionalização a Gelson Martins rendendo Quaresma, e que veio agitar mais o jogo, indo a tempo de providenciar uma assistência para um golo de belo efeito de João Moutinho e estar também na assistência para João Cancelo com um passe sublime para o lateral que faz o seu terceiro golo com a camisola da seleção em três jogos, algo de sublinhar num lateral.

Exibição muito positiva da seleção de Portugal que contornou um adversário que, teoricamente acessível, ainda não tinha sofrido golos nesta fase de qualificação para o Europeu.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários

Artigo anteriorFC Porto inicia época a ganhar
Próximo artigoAcadémica OAF 3-2 Varzim SC: Para ti, Mário Wilson
Eterno apaixonado por futebol, tem no Porto a sua eterna paixão. A atualidade desportiva faz parte da sua génese, lendo desde muito novo os jornais desportivos cuja leitura o avô lhe incutia. Vê jogos de futebol com o seu pai desde os três meses de idade (de pequenino é que se torce o pepino). Joga futebol e futsal com os amigos sempre que pode. Tem também pelo ciclismo um apreço especial. Fora de Portugal é adepto incondicional do Tottenham Hotspur e do Real Madrid.                                                                                                                                                 O Telmo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.