Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Seleção NacionalEm mais um jogo da fase de apuramento para o Mundial de 2018, na Rússia, Portugal deslocou-se à capital da Letónia, no Skonton Stadium, com o objetivo de alcançar três pontos. A equipa das quinas estava obrigada a vencer a partida, perante uma débil Letónia, de modo a evitar que a Suíça fugisse ainda mais no topo da tabela classificativa do grupo B.

A grande surpresa na partida, foi a inclusão de Bruno Alves no onze, pelo lugar do lesionado Pepe. O jogo começou dividido, com poucas linhas de passe por parte da equipa nacional e com a Letónia a tentar esticar sempre o seu jogo, através de bolas longas e contra-ataques.

Os dez minutos iniciais foram muito fracos, apesar das tentativas de Portugal se destacar na partida, tudo foi muito tímido e jogava-se pouco futebol de parte a parte.  Portugal começou a assumir o jogo, a ter mais bola e a encostar a Letónia à sua defensiva, mas de novo sem criar grandes ocasiões de perigo. Ao minuto 23, primeiro lance de perigo para Portugal. Ronaldo, numa brilhante jogada individual atira no alvo mas Vannins evitou o golo. Mas, nos minutos seguintes, Portugal voltou a desaparecer do jogo. O jogo da equipa nacional era muito previsível e baseava-se sobretudo em despejar bolas para a pequena área, sem grande sucesso.

Os festejos do segundo golo de CR7 Fonte: UEFA
Os festejos do segundo golo de CR7
Fonte: UEFA

Depois de tanto sofrimento, Portugal acabava por chegar ao golo. Na sequência de um cabeceamento de José Fonte ao poste, apareceu, de novo, o capitão Ronaldo a abrir o ativo. Este golo tranquilizava os adeptos portugueses e vinha acabar com a apreensão que se sentia. Foi uma primeira parte apática da equipa nacional que se mostrou algo surpresa com a disposição tática apresentada pela equipa letã, com Cristiano Ronaldo a mostrar-se de novo decisivo.

Na segunda-parte, Portugal entrou bem na partida. Apesar disso, passados cinco minutos de jogo, a equipa letã começou a causar maior perigo à equipa portuguesa. Foi nesta altura que Portugal viveu a sua pior fase no encontro. Portugal tinha poucas oportunidades apesar da maior posse de bola. A equipa das quinas não conseguia circular a bola e acabava por ter dificuldades na fase de criação e definição das jogadas. Aos poucos, a seleção da Letónia foi começando a evidenciar sinais de cansaço e começaram a conceder espaços. Ronaldo ia ameaçando e acabou mesmo por concretizar essas ameaças ao minuto 63 após assistência de Quaresma, que veio render Gelson Martins no onze. O jogo estava praticamente resolvido nesta altura, Portugal limitava-se a controlar o jogo. Ainda assim, André Silva não quis deixar de colocar a sua marca na partida e voltou a marcar após boa recuperação de Ronaldo.

Até final da partida, Portugal ainda dispôs de algumas oportunidades para dilatar a vantagem mas Vannins foi travando as investidas portuguesas. O resultado aceita-se mas a exibição portuguesa deixou algo a desejar, sobretudo na primeira parte. Ronaldo, voltou a ser decisivo e tornou o jogo mais fácil. Agora, a mente dos portugueses já está na Taça das Confederações, onde se espera que o capitão volte a ser decisivo.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários