A UEFA anunciou o adiamento do Euro 2020 para o ano seguinte, face à pandemia que se está a verificar no mundo, actualmente, tendo agora a data de início prevista para 11 de Junho de 2021. E esta situação levanta uma série de pontos de interrogação sobre o que será da equipa das quinas no próximo ano.

Antes de mais, começando pelos jogadores que estão numa fase mais avançada da carreira. Cristiano Ronaldo é um caso sério de longevidade no desporto mundial e, certamente, não irá desperdiçar a oportunidade de marcar presença na competição, mesmo que isso implique que tenha de gerir a sua condição física ao longo da época.

Entre os jogadores mais veteranos está também o caso do médio João Moutinho, que tinha vindo a realizar grandes prestações no Wolverhampton Wanderers FC e continua a ser umas das escolhas de eleição de Fernando Santos. Mas, na minha opinião, os casos mais bicudos são os dos centrais Pepe e José Fonte.

Com 36 e 37 anos respectivamente, José Fonte e Pepe vinham a ser titulares ao longo da época, mas, tendo em conta a idade avançada que têm, é difícil garantir esse estatuto na próxima época.

Anúncio Publicitário
Renato Sanches tem sido uma das figuras do Lille nesta época
Fonte: Swansea AFC

Quanto aos jogadores com uma idade mais avançada, convém lembrar que, por norma, estes demoram mais tempo a recuperar a forma e a condição física do que jogadores mais jovens. E esta situação levanta uma incerteza quanto à condição física destes jogadores quando passar esta pandemia.

Ainda para mais, há uns aninhos atrás que o futebol português vinha a carenciar de jovens defesas-centrais com talento. Por isso, espera-se que jogadores como Rúben Semedo, Ferro e Diogo Leite sejam capazes de dar continuidade à sua evolução, de modo a conquistar um lugar na equipa das quinas.

Para além destes jogadores, este adiamento também pode ser prejudicial para jogadores que não eram aposta regular, mas que vinham a fazer por merecer um lugar na competição. Entre estes casos, saliento principalmente o de Renato Sanches.

O médio formado no Benfica tem vindo a relançar a carreira no Lille Olympique Sporting Club Métropole, tendo já integrado por várias vezes o onze da jornada na Liga Francesa e só mesmo algum azar o afastaria da competição, mas com o adiamento do Euro 2020 as circunstâncias podem alterar-se até lá.

Até ao próximo ano, muita coisa há-de acontecer. E espero que nessa altura haja bom senso nas escolhas e que possamos partir para a guerra com os melhores à disposição.

 

Artigo revisto por Joana Mendes