A selecção portuguesa inicia a participação no europeu de sub-21, na República Checa, esta semana. Portugal está inserido no grupo B, em que jogará frente à Inglaterra no dia 18, Itália no dia 21, e Suécia, no dia 24. Não é um grupo fácil, mas penso que temos legítimas esperanças de sonhar com o título, ou, pelo menos, garantir a qualificação para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Para este segundo objetivo, basta atingir as meias finais.

Passando então à lista, um dos destaques é a ausência de Bruma. O extremo, que abandonou o Sporting para rumar ao Galatasaray no início da época passada, perdeu algum fulgor em relação ao que já prometeu e, perante a forte concorrência que existe neste momento entre os jovens nacionais, foi preterido pelo técnico. Quanto a mim, esta é uma decisão aceitável, dado que Carlos Mané, Ivan Cavaleiro, Ricardo Horta, Ricardo Pereira, Iuri Medeiros ou mesmo Rafa e Bernardo Silva são atletas que fizeram boas épocas e podem perfeitamente fazer a posição desempenhada por Bruma. O lateral esquerdo Rafa e o médio Rony Lopes já eram ausências esperadas, dadas as suas presenças no Mundial sub 20, na Nova Zelândia.

Para completar o setor atacante, existe ainda o único ponta de lança de raiz do grupo: Gonçalo Paciência. O avançado do FC Porto ainda recupera de lesão mas deve recuperar a tempo, o que é uma ótima notícia dada a sua enorme qualidade.

Olhando para a baliza, penso que o titular será José Sá. O guardião do Marítimo B (embora não lhe ficasse nada mal a titularidade na equipa principal, no lugar de Salin) tem sido normalmente a primeira escolha de Rui Jorge e assim deverá continuar. Bruno Varela também dá algumas garantias. Já Daniel Fernandes não deixou boas indicações no jogo amigável em que participou e penso que não passará de terceira escolha. Ainda assim, creio que este é o setor menos forte da nossa equipa.

Rui Jorge tem uma das melhores gerações portuguesas de sempre ao seu comando Fonte: fpf.pt/Diogo Pinto
Rui Jorge tem uma das melhores gerações portuguesas de sempre ao seu comando
Fonte: fpf.pt/Diogo Pinto

Na defesa, opções de qualidade não faltam. Temos como laterais Ricardo Esgaio, João Cancelo e Raphael Guerreiro, todos eles com um enorme potencial e com experiência de primeira divisão, seja em Portugal, seja nos campeonatos espanhol e francês. Já no eixo da defesa, penso que também não temos motivos de preocupação. Ruben Vezo foi o principal preterido, perante Frederico Venâncio, Tiago Ilori, Tobias Figueiredo e Paulo Oliveira. Ilori e Oliveira devem ser os titulares; formam uma dupla coesa, forte no jogo aéreo, e experiente. Ilori jogou esta temporada no Bordéus e Paulo Oliveira já leva três anos de Primeira Liga. Inclusivamente, este ano foi o patrão da defesa do Sporting, o que só por si já indicia a qualidade que tem. Na minha opinião, até repetirá na próxima época a presença em Europeus, quando a seleção nacional participar no Euro 2016 em França. Mas isto apenas será confirmado para o ano…

No meio campo, está a novidade que me deixou ainda mais confiante relativamente a esta competição: as presenças de Wlliam Carvalho e João Mário. Dois jogadores que já jogaram na Seleção A, titularíssimos do Sporting, só vêm enriquecer a nossa equipa. Quem não gostaria de ter um dos melhores médios defensivos do mundo numa seleção sub 21?

Até acho que o maior elogio que podemos fazer a este meio campo é dizer que jogadores com a qualidade de Ruben Neves, Tozé ou Sérgio Oliveira poderão não ser titulares. Não nos podemos esquecer de que também vamos ter Bernardo Silva, outro jogador claramente de Seleção A, que pode fazer a diferença neste Europeu e que tem de ser titular desta equipa. O desgaste de alguns jogadores poderá ser o principal entrave, mas espero que Rui Jorge e a sua equipa técnica consigam gerir da melhor maneira os recursos disponíveis para que possamos fazer uma boa campanha. De referir ainda que Bernardo Silva e William Carvalho integraram primeiramente os trabalhos da Seleção A. Só depois é que ficaram livres para a Seleção de Esperanças.

Em relação aos dois nomes que ficarão de fora da convocatória final, as escolhas de Rui Jorge recaíram em Ruben Pinto e Bruno Fernandes. Os dois médios começaram os treinos de preparação com a equipa mas acabaram por ver o seu sonho esfumado nos últimos dias.

Se havia esperança em nomes como Gelson Martins, André Silva, Nuno Santos ou Rony Lopes para chegar longe no Mundial sub 20, então que dizer de uma seleção sub 21 que pode contar com Paulo Oliveira, Raphael Guerreiro, William Carvalho, João Mário, Gonçalo Paciência, Iuri Medeiros, Ivan Cavaleiro, Carlos Mané ou o pequeno grande artista que é Bernardo Silva? Temos de ter a ambição de chegar à República Checa, “partir” aquilo tudo com grandes exibições e regressar a Portugal com a taça!

Foto de capa: fpf.pt

Comentários