Anterior1 de 3Próximo

Pela terceira vez, Portugal teve um encontro em Bielsko-Biala. Desta feita, contra a África do Sul, que talvez fosse a seleção mais fraca do grupo. Portugal a precisar da vitória para garantir o apuramento para os oitavos de final, chegava a este jogo com uma vitória, de 1-0 à Coreia do Sul e uma derrota com a Argentina, por 2-0. Já a África do Sul perdeu os dois jogos, no primeiro, com os albicelestes por 2-5 e no segundo jogo obteve uma derrota por 0-1 frente à Coreia do Sul.

Foram promovidas duas alterações no onze português, relativamente às partidas anteriores, com as entradas de Thierry Correia e de Nuno Santos, para as saídas de Diogo Dalot e de Miguel Luís.

A primeira parte começou com as equipas a responderem bem. Aos três minutos, Jota na esquerda bem tentou, com um cruzamento, mas Trincão não chegou para o desvio final. Aos cinco minutos, o jogador sul africano, Kodisang, ia fazendo um golaço, com um chapéu de longa distância e a bola a rasar o poste esquerdo da baliza de João Virginia. Kodisang que joga em Portugal, na equipa da Sanjoanense.

Aos 14 minutos, Trincão de cabeça esteve perto, não fosse uma defesa do guardião da África do Sul. Com 19 minutos jogados, chegou o golo português, através de uma jogada de Thierry Correia, com um cruzamento da direita, sem nenhum defesa a conseguir cortar o lance, a bola sobrou para Leão, este a receber de pé direito e a rodar para marcar o primeiro.

Com meia hora de jogo, Rafa Leão, numa jogada do lado esquerdo do ataque português, causou desequilíbrio na área da África do Sul, fez um cruzamento rasteiro e Jota a aparecer com um remate em jeito, mas Kubheka estava atento e conseguiu defender.

Aos 36 minutos, Vinagre faz um passe para Leão, este a receber a bola e a fazer um remate que devia ter levado mais perigo à baliza de Kubheka.

A primeira parte a acabar com um domínio português, visto que Portugal apresentou 61% de posse de bola contra os 39% da África do Sul e teve o dobro dos remates. A equipa sul africana não conseguiu fazer um remate enquadrado com a baliza no primeiro tempo.

 

Leão a faturar o único golo de Portugal                                                                                            Fonte: FIFA

Na segunda parte, Portugal entrou com um ritmo muito pausado e com isto os sul africanos aproveitavam para atacar. Num cruzamento para a área, Diogo Leite toca a bola com o braço e o VAR assinalou grande penalidade para a África do Sul. Monyane no cara-a-cara com João Virginia não vacilou e o jogo a ficar empatado. Com este resultado, Portugal estava fora do Mundial.

Aos 60 minutos, Portugal dispôs de uma grande penalidade e Jota a rematar para defesa de Kubheka. Com 68 minutos decorridos, Trincão aparece na zona central do terreno, já dentro da grande área, mas acabou num remate defensável para Khubeka.

Com 71 minutos, Trincão bateu um livre e Diogo Queirós a cabecear a bola à barra. O guarda-redes estava batido, numa altura em que Portugal procurava insistentemente o golo.

Rafael Leão na esquerda, retirou um adversário do caminho e fez um remate potente para defesa de Khubeka, a bola ressaltou para a frente, mas a recarga acabou por não aparecer. Isto quando faltavam apenas sete minutos para o final.

O árbitro tinha dado seis minutos de compensação e aos 93 minutos, um livre de Portugal na esquerda, a bola a chegar até Martelo e este a disparar às malhas laterais. O lance que causou o livre, acabou por lesionar Rafael Leão. Após este lance, o jogador português apenas andava pelo campo, sendo visíveis as dificuldades do jogador em colocar a perna no chão.

Pedro Neto na esquerda, faz um remate para uma boa defesa de Khubeka, para canto. Na sequência do canto e com João Virgínia a subir até à área, Florentino atirou por cima, sendo esta a última jogada de perigo do encontro.

Poucos segundos depois, o árbitro deu o apito final. A seleção portuguesa está fora do Mundial. A Coreia do Sul venceu 2-1 a Argentina e apura-se também para a próxima fase. A equipa das quinas deve muito à sua falta de ideias e da sua falta de ritmo de jogo. A qualidade dos jogadores portugueses é indiscutível, com esta eliminação, a campanha portuguesa pode ser considerada fraca. Portugal era um dos candidatos à vitória, todos esperavam mais: os críticos, Hélio Sousa, os jogadores e os adeptos, sem exceção.

Portugal desilude com esta prestação. Grupo bastante acessível para a armada portuguesa e claramente que faltou fazer mais. Portugal fica em terceiro no Grupo F, com 4 pontos e está fora, logo na primeira fase.

A África do Sul soube aproveitar a falta de ideias de Portugal e procurou jogar o seu jogo. Teve algumas oportunidades de visar a baliza, mas nunca apresentou um perigo relevante. Na segunda parte, foram várias as vezes que os sul africanos se atiraram para o chão, quebrando várias vezes o ritmo de jogo.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÕES:

PORTUGAL: João Virgínia; Thierry Correia, Diogo Queirós, Diogo Leite e Rúben Vinagre (sub. Francisco Moura, 55´); Florentino, Gedson, Nuno Santos (sub. Pedro Martelo, 67´); Trincão, Leão e Jota (sub. Pedro Neto, 83´)

ÁFRICA DO SUL: Kubheka; Keenan Abrhams, Mabiliso, Gcaba e Moloisane; Apollis(sub. Blom, 65´), Mkhize, Kodisang, Mkhuma, Leshabela (sub. Khanyi, 76´) e Monyane.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários