A FIGURA

Fonte: Thefa
Fonte: Thefa

No ataque, deu continuidade ao bom desempenho defensivo da sua equipa não só ao coordenar a pressão ofensiva dos seus pares, como a organizar o processo ofensivo com bola, salpicado com laivos de qualidade técnica.

Mason Mount (Inglaterra) não marcou, mas os dois golos ingleses são seus “filhos”: no primeiro bateu o livre cuja recarga foi aproveitada por Sulimani para marcar e no segundo, exerceu pressão que forçou o erro de Diogo Queirós e que mais tarde aproveitou para assistir, com classe, Nmecha.