Anterior1 de 3Próximo

Cabeçalho Seleção Nacional

Estava marcado no Estádio do Algarve, o quarto jogo do Grupo B de Apuramento para o próximo Mundial’18 na Rússia. Portugal defrontava assim a Letónia que se encontrava na penúltima posição do grupo, com apenas 3 pontos, frente ao último colocado, a Andorra.

Sem grandes invenções, Fernando Santos decide apresentar um 11 sem muitas alterações, contando com Rui Patrício na baliza, uma linha defensiva com João Cancelo, José Fonte e ainda com os regressos de Bruno Alves e Raphael Guerreiro. No meio-campo voltavam a alinhar William Carvalho, André Gomes e João Mário, com uma linha ofensiva a três, os habituais utilizados André Silva e Cristiano Ronaldo e ainda com o regresso de Nani.

O tempo era ameno, a equipa experiente e a vontade de vencer era evidente. O futebol praticado pela equipa de Leste era bastante afunilado, com a linha média bem próxima da linha defensiva e, por isso mesmo, jogando na expetativa, procurando um futebol direto e com pressão forte na segunda e terceira fase de construção da equipa de Portugal, por vezes, com entradas agressivas para com os jogadores da seleção portuguesa.

Quanto a Portugal, voltou a praticar um futebol de posse com movimentações ao longo de toda a linha média e ofensiva, com a sua equipa instalada no meio-campo adversário e com grande profundidade dadas as constantes investidas quer de Cancelo, quer de Guerreiro.

Anúncio Publicitário

Numa primeira parte sem grande perigo e com um futebol que deixou a desejar, o primeiro remate surgiu aos 6’ por intermédio de João Mário, sem perigo para Vanins. Pouco tempo depois, no lance de maior perigo para a equipa de leste, um cruzamento com muito perigo que resulta num remate junto à pequena área, resultando numa defesa quase instintiva de Rui Patrício. O jogo continuava e, na passagem dos minutos 14’ e 15’, cartão amarelo para Kluskins e André Gomes sucessivamente, após entradas duras que impossibilitaram a progressão ofensiva das respetivas equipas adversárias.

Com o jogo bastante desinteressante e com poucas ideias, era Nani que se começava a mostrar como o jogador mais inconformado na seleção das quinas. Primeiro, remata forte, após bom trabalho na direita de André Silva à passagem do minuto 20’. Pouco tempo depois, aos 22’ mais um remate de Nani numa ação individual em que descai da esquerda para o meio num remate sem grandes problemas para o guarda-redes letão. Davam-se então os melhores momentos da equipa portuguesa em que apenas era travada em falta, resultando num amarelo para Maksimenko numa entrada dura sobre João Cancelo e, pouco tempo depois, no momento mais importante da primeira parte, Nani, tabelando com Cristiano Ronaldo, consegue entrar na área adversária, no qual é travado em falta.

Para a segunda parte, Portugal manteve-se fiel ao seu estilo de jogo, contudo a Letónia continuava a travar bem as investidas portuguesas, até que ao minuto 57’ dá-se mais um penalty para Portugal, passe de João Mário, com André Gomes a sofrer falta na grande área adversária. Na conversão, Ronaldo incrivelmente falha, com a bola a bater no poste e, de seguida, no guarda-redes, ressaltando para fora.

Com necessidade de dar mais dinâmica em ambas as equipas, aos 60’ dá-se a primeira alterção na seleção de letão, entrada de Zjuzins para a saída de Ikaunieks e, aos 65’ entra Quaresma para a saída do Nani, um momento que viria a ser crucial para o resultado final.

Aos 68’ o recém entrado Zjuzins faz o primeiro e único golo da Letónia, após um mau corte da defensiva portuguesa, fuzilando as redes de Rui Patrício, um empate que não duraria por muito tempo. Um minuto depois, na primeira intervenção de Quaresma, após uma boa combinação de André Silva, “saca da cartola” um grande cruzamento para William Carvalho que marca de cabeça, dando fim à jogada que ele próprio tinha iniciado.

O jogo volta a estabilizar, dando entrada Gelson e Visnakovs, para as saídas de João Mário 71’ e Kluskins 78’, sucessivamente. Aos 85’, golo de Ronaldo a fuzilar em vólei, após mais um excelente cruzamento de Quaresma, onde, nos últimos 7’ minutos foram de grande emoção. Aos 87’ entra Renato Sanches para o lugar de André Gomes e, na seleção da Letónia, Gutkovskis entra para o lugar de Rudnevs. Julgando-se que o jogo já tinha terminado, aos 90’os dois da “vigairada” voltam a fazer das suas. Quaresma volta a cruzar para um cabeceamento de Ronaldo, com a bola bate na trave.

Para fechar, aparece Bruno Alves após bom cruzamento de Raphael, fazendo assim o 4-1 aos 91’.

Boa vitória para Portugal num encontro que se tornou mais complicado do que parecia. A falta de criatividade, à qual João Mário e André Gomes não nos habituaram, tornaram o jogo num encontro difícil. Fernando Santos rodou bem e, com a entrada de Quaresma, Portugal esmagou a seleção da Letónia, que apesar de surpreender ao empatar o jogo, figurou-se uma equipa acessível para as características de Quaresma.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários