Anterior1 de 4Próximo

Foguetes lançados, canas apanhadas, e taça erguida. Tudo isto já passou; o tempo agora era de seguir em frente. St. Jacob Park, em Basileia, na Suíça, foi o palco escolhido para o arranque da fase de apuramento para o Campeonato do Mundo de 2018, para as selecções da Suíça e de Portugal. Primeiro jogo oficial dos campeões europeus, sem Ronaldo, indisponível desde a final de Saint Denis, mas com Nani a envergar a braçadeira de capitão. Destaque para o meio-campo português, com Bernardo Silva a entrar para o lugar de João Mário, e ainda para o ataque, onde Éder foi titular, ao passo que Quaresma ficou-se pelo banco. Já do lado dos helvéticos, Seferovic foi a novidade, ao ser preferido em vez do habitual titular Derdiyok, numa Suíça que ainda tinha pelo banco o ex-Sporting Gelson Fernandes. Recordo que Shaquiri era a principal ausência.

Entrada a pressionar da Suíça. Uma equipa com mais bola mas que criava menos perigo, deixando essa vertente do jogo para a equipa campeã europeia. O primeiro remate foi aos três minutos de jogo: Éder, depois de um passe a rasgar de Moutinho, a rematar ao lado da baliza de Sommer. Portugal voltava a carregar, combinação entre Bernardo Silva e Cédric, Éder no passe, remate de Bernardo à figura.

Os suíços apostavam muito na projecção dos laterais, e destaque ainda para a disposição dos dois médios-centro. Sempre que o processo ofensivo era iniciado, um ficava mais recuado, o outro avançava.

Bernardo Silva foi uma das novidades Fonte: Facebook Oficial de Bernardo Silva
Bernardo Silva foi uma das novidades
Fonte: Facebook Oficial de Bernardo Silva

Primeiro remate com perigo da Suíça chegou aos 17 minutos, por intermédio de Ricardo Rodriguez. Na construção ofensiva, Portugal igual a si mesmo. William descia para vir buscar jogo fazendo quase de terceiro central. Golo da Suíça ao minuto 23. Na sequência de um livre muito bem executado por Ricardo Rodriguez, Embolo aparece na recarga e faz o golo, num misto de má reacção da defensiva portuguesa e hipnotismo de Cédric, que fica a ver o extremo suíço chegar como quer à bola.

À meia hora de jogo, Portugal, lançado no ataque, é apanhado em contrapé. A equipa suíça aproveitou a passividade da defensiva portuguesa, com Seferovic no cruzamento para um remate colocado de Mehmedi. Dois a zero com 30 minutos jogados.

Suíços a baixarem mais as linhas, a tornar o jogo mais lento para tentar chegar ao intervalo com a vantagem de dois golos. Aos 40 minutos, Mehmedi tenta enganar o árbitro mas acaba por ver amarelo, ao simular uma grande penalidade. O intervalo chegava com 2-0 no placard e com os campeões da Europa a passarem dificuldades.

Anterior1 de 4Próximo

Comentários

Artigo anteriorAleksandar Katai: Talento sérvio para frente de ataque dos Babazorros
Próximo artigoMiúdos e Graúdos
João Valente é um apaixonado pela arte do futebol. Nascido e criado durante boa parte do tempo em Lisboa, começou a seguir este desporto com uns tenros quatro anos e, desde então, tem sido um namoro interminável. É benfiquista de gema – mas não um que só vê Benfica à frente! É alguém que sabe ser justo quer o Benfica ganhe ou perca e que está cá para salientar os porquês, na sua opinião, dos resultados. Como adepto de futebol que é não segue só a atualidade do futebol português; faz questão também de acompanhar a par e passo o que de mais importante acontece nos principais campeonatos. A conjugar com o seu interesse pelo futebol, e pela malha, desporto que descobriu porque o seu avô era campeão lá na rua, veio a escrita, forma que encontra de expor os seus pensamentos na esperança de um dia se tornar num grande jornalista de desporto, algo que dificilmente acontecerá mas, tudo bem, ele um dia há-de perceber isso.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.