Já aqui falei há uns tempos atrás que os defesas-centrais de qualidade estavam a escassear no futebol português, sendo que os últimos jogos de preparação da equipa das quinas levantaram ainda mais questões quanto aos defesas-centrais que devem representar o nosso país na Rússia.

A mim não me parece que Bruno Alves que é suplente no Glasgow Rangers, e José Fonte que acabou de se transferir para o futebol chinês, ainda tenham andamento para este nível competitivo. E mesmo com a ascensão meteórica de Rúben Dias, esta opção por si só, parece-me curta para uma competição de grande exigência.

No entanto, sempre foi difícil escolher os defesas-centrais para representarem o nosso país nas diversas competições internacionais, mas por outros motivos. Há uns anos atrás, o futebol português estava muito bem servido de defesas-centrais, sendo que alguns deles até nem tiveram muito espaço na selecção nacional quando atingiram o seu auge.

Como tal, irei aqui indicar cinco defesas-centrais que não conseguiram conquistar o seu espaço na equipa das quinas no seu tempo, mas que nos dias de hoje teriam capacidade mais que suficiente para tal.

Anúncio Publicitário

Foto de Capa: El Mundo

1
2
3
4
5
6
Artigo anterior1, 2, 3… casos e mais casos
Próximo artigo10 craques nas divisões secundárias portuguesas
O Tiago é um jovem natural de Montemor-o-Novo, de uma região onde o futebol tem pouca visibilidade. Desde que se lembra é adepto fervoroso do Sport Lisboa e Benfica, mas também aprecia e acompanha o futebol em geral. Gosta muito de escrever sobre futebol e por isso decidiu abraçar este projeto, com o intuito de crescer a nível profissional e pessoal.                                                                                                                                                 O Tiago não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.