A seleção espanhola tem vivido episódios conturbados nos últimos dias, devido à mudança de selecionador. Luis Enrique volta ao comando técnico da “La Roja” depois de a ter abandonado em março, para se concentrar na família, devido a um grave problema de saúde da filha. Xana, de nove anos, viria a falecer no mês de agosto e não se esperava que Luis Enrique voltasse tão cedo. O mundo do futebol uniu-se todo em prol do técnico, para lhe dar apoio nesse momento doloroso.

O presidente da Federação Espanhola confirmou no dia 19 de junho que o treinador oficial seria Robert Moreno (interino desde março), no entanto, Luis Enrique teria sempre o lugar à disposição, quando assim o entendesse.

Robert Moreno orientou então a seleção em nove partidas de qualificação e a Espanha terminou o grupo em primeiro lugar com 26 pontos, oito vitórias e dois empates, com 31 golos marcados e cinco sofridos.

No dia 19 de novembro, Luis Enrique voltou ao comando da seleção. O ex-treinador do Barcelona comunicou a vontade de regressar e o presidente da Federação confirmou o regresso pelo facto de ter sempre as portas abertas quando o quisesse.

Anúncio Publicitário

Robert Moreno ficou desolado com esta informação, quando a recebeu depois do último jogo de qualificação da Espanha para o Euro 2020, e desatou a chorar. Ao que tudo indica, terá chegado ao balneário a gritar: “Tiraram-me daqui para fora” e muitos jogadores reagiram surpresos, sendo que um deles referiu: “Não me f… que Robert não continua”.

Fonte:Selección Española de Fútboll

De seguida, dirigiu-se para a estação de metro mais próxima e desatou a chorar desalmadamente, antes de ir para Barcelona, local onde reside, sem se preocupar com o material e a roupa que tinha deixado no centro de estágios da La Roja.

Ao que tudo indica, a relação entre os treinadores já não era melhor, quando Luis Enrique ligou a Moreno, indicando que no caso de voltar a treinar a Espanha, não o iria querer como adjunto. Com este desfecho, Robert Moreno terá reagido mal, mesmo depois de saber que podia abandonar a seleção a qualquer momento. Assim o fez e Luis Enrique tem agora o objetivo de fazer boa figura no Euro 2020.

Análise Equipa

A seleção espanhola está repleta de qualidade. Não é comparável ao plantel dos anos de ouro, em que venceram o Mundial 2010 e os Euro 2008 e 2012, com Casillas, Piqué, Xavi, Iniesta, David Silva, Xavi, Torres, David Villa, Fàbregas, entre outros. Todos estes já não fazem parte da seleção, embora alguns ainda joguem pelos respetivos clubes. Atualmente, a seleção renovou-se, apresenta outra estrutura, e é consideravelmente mais jovem do que a dos outros anos. Além disso, qualidade não falta e têm inúmeras opções para cada posição.

Para a baliza contam com David de Gea, Pau López e Kepa Arrizabalaga. Ainda há dúvidas sobre quem vai ser o dono do lugar, apesar de que Kepa tem sido mais vezes opção do que De Gea. O jovem espanhol é muito seguro na baliza do Chelsea e promete cumprir com a La Roja para a competição que aí vem. O guardião do Manchester United é dos melhores do mundo há vários anos seguidos, no entanto, tem aqui um “rival” à altura.

Para defesas centrais à partida serão chamados Iñigo Martínez, Mario Hermoso e Raúl Albiol, sendo que qualquer um destes poderá jogar ao lado de Sérgio Ramos, capitão de equipa, patrão da defesa e jogador com mais internacionalizações. Relembre-se que Gerard Piqué renunciou à seleção espanhola para representar a Catalunha.

Na lateral-esquerda em condições normais o dono do lugar é Jordi Alba. Se por ventura não estiver disponível, o titular será naturalmente José Gayá. O “problema” é que existem ainda Marcos Alonso, Juan Bernat ou até mesmo Jonny Otto.

Fonte: Selección Española de Fútboll

Na lateral-direita, Carvajal é o dono do lugar, embora sofra regularmente lesões, portanto há-que contar com um substituto, que pode ser Sergi Roberto. A dúvida é se Nacho será opção, ele que é polivalente e pode fazer qualquer posição do setor defensivo.

Para o meio-campo não faltam jogadores de qualidade e Luis Enrique terá aqui uma grande dor de cabeça. Surgem nomes como Sergio Busquets, Rodri, Thiago Alcantara, Koke, Fabián Ruiz, Dani Ceballos, Dani Parejo, Saúl Ñíguez e até o próprio Sergi Roberto pela polivalência ou os jovens Pablo Fornals e Dani Olmo. Pensa que já leu todos? Aparece Isco! Francisco Alarcón é um craque com qualidade para jogar de caras nesta equipa, embora não tenha sido opção regular na qualificação, possivelmente por também não ser titular no Real Madrid. É complicado gerir este meio-campo.

Para a frente, a Espanha não tem as escolhas definidas, ainda para mais com a chegada de um treinador que apenas orientou um jogo da qualificação. Luis Enrique pode contar com Álvaro Morata, Paco Álcacer, Gerard Moreno, Suso, Mikel Oyarzabal, Rodrigo, Diego Costa, Santi Cazorla, Pablo Sarabia, Jesús Navas e Iago Aspas. Além desses, há ainda Jaime Mata e Suso, que embora tenham qualidade, dificilmente estarão entre os 23 escolhidos. Asensio está lesionado… Resta saber se regressa a tempo de mostrar que merece a convocatória, porque em condições normais estaria lá.

Foto de Capa: Selección Española de Fútboll

Revisto por: Jorge Neves

Comentários