cab basquetebol nacional

Depois de algum tempo de ausência volto à escrita e desta vez dedico-me à análise da Liga Portuguesa de Basquetebol. Numa modalidade mergulhada na incerteza, devido às condições financeiras e materiais que se estão a deteriorar de ano para ano, a principal competição do basket português têm-se ressentido da falta de competitividade dos clubes.

Com a realização da 10ª jornada, a LPB chegou a metade da fase regular. Na atual tabela classificativa encontramos normalidades, surpresas, renascimentos e uma dura realidade. As grandes surpresas (e pela negativa) foram a desistência da Académica e o penúltimo lugar ocupado pela histórica Ovarense. Uma prova onde o Benfica é o líder natural com 9V e 1D, tendo sido derrotado apenas na deslocação ao reduto do Vitória de Guimarães. A luta pela conquista do campeonato parece estar confinada a Benfica e Guimarães. Nem tudo é mau neste caos que o basket nacional está mergulhado, os poucos meios financeiros fazem com que as equipas apostem em jovens da formação que ganham assim desde tenra idade, a experiência competitiva que muitos noutros tempos não tiveram a oportunidade.

Supertaça 2013: Benfica vs Guimarães @FPB
Supertaça 2013: Benfica vs Guimarães
Fonte: @FPB

No final da primeira volta foram 3 os jogadores portugueses que se destacaram entre os melhores, são eles: o veterano Nuno Marçal (Maia Basket) que em 9 jogos disputados alcançou 7 duplos-duplos, o base Miguel Minhava do Galitos Barreiro e o conceituado e irreverente extremo do Benfica João “Betinho” Gomes. Ao nível dos americanos têm-se destacado os postes Aaron Fuller da Oliveirense (MVP da última jornada com 24 pontos, 18 ressaltos (9 ofensivos), 3 roubos de bola e 1 assistência) e Alan Anderson do CAB Madeira, e o base do Sampaense, James Smith.

A surpreender pela positiva tem estado o Algés, tenho curiosidade para ver o que esta equipa recheada de bons talentos nacionais pode alcançar este ano, estão neste momento na luta por um lugar nos playoffs, André Martins orienta uma equipa onde está bem patente mistura entre jogadores veteranos e com muitos jogos da LPB e Internacionais como João Santos e Francisco Jordão e Rui Quintino, com a juventude de jogadores como os bases Francisco Amiel e Henrique Piedade (17 anos) e Diogo Correia (23 anos) que já conquistou vários títulos tanto ao nível da formação pelo Queluz e Benfica como mais recentemente sagrou-se campeão nacional pelo Porto.

A luta pelos playoffs está ao rubro e promete ser disputadíssimo até à última jornada, e prometemos que iremos acompanhar essa disputa todas as semanas aqui no Bola na Rede.

Comentários