O mundial da FIBA de 2019 veio revelar algo: o basquetebol está a tornar-se cada vez mais num desporto global e não são apenas os Estados Unidos que o sabem jogar ao mais alto nível.

Um mundial diferente, com bastantes surpresas e ganho pela potência do basquetebol, a Espanha, serviu, assim, para alertar os americanos. A seguir a uma temporada em que o melhor jogador da NBA é grego (Giannis Antetokounmpo), o jovem sensação é esloveno (Luka Doncíc) e o jogador revelação é dos Camarões (Pascal Siakam). A última surpresa foi o campeão do mundo também não ser proveniente de solo americano.

Assim, o nível de qualidade do basquetebol mundial tem vindo a crescer e, como prova disso, para ganhar os torneios internacionais no mundial da FIBA, a selecção americana vai precisar dos melhores jogadores aptos a ir a jogo.

Stephen Curry é o principal nome que se compromete a alinhar pela selecção no próximo grande torneio internacional, os Jogos Olímpicos de 2020. Em entrevista à ESPN, o base, três vezes campeão da NBA e duas vezes considerado o melhor jogador do mundo, confirmou que o seu plano será jogar nos próximos Olímpicos: “definitivamente quero ir (…) nunca fiz parte de uma equipa olímpica. Fiz parte de duas equipas vencedoras da medalha de ouro no mundial da FIBA, mas os Jogos Olímpicos é a experiência que quero. E no próximo ano espero tê-la.”

Stephen Curry ganhou o mundial da FIBA em 2010 e 2014
Fonte: Golden State Warriors

O outro grande nome, após a qualificação da selecção americana, foi Damian Lillard. Durante uma viagem a Sydney como embaixador da Adidas, o base de 29 anos disse, em entrevista à news.com.au, que também planeava jogar nos Jogos Olímpicos de 2020: “estou a planear fazer parte da equipa, sim”. Quando interrogado sobre se gostaria de trazer o ouro para os Estados Unidos, o base respondeu que era esse o objetivo. Jogadores como Draymond Green também verbalizaram a sua vontade de jogar e, já em 2016, LeBron James também não colocou de parte a possibilidade de jogar em 2020 (apesar de não ter jogado em 2016).

Isto tudo acontece após muitos jogadores terem dito, no processo de estágios de seleção, que preferiam não jogar no torneio da FIBA, sendo um desses nomes Lillard. Depois de, em 2008, a “Redeem team” ter recuperado o ouro nos JO de Pequim e, em 2010, uma equipa desfalcada, mas liderada por Kevin Durant, também ter reclamado o ouro no mundial, a selecção Americana “navegou” para o ouro nos JO de 2012, no mundial de 2014 e nos JO de 2016. Assim, depois de 5 vitórias consecutivas nos principais torneios internacionais, há de novo algo a provar: mostrar ao mundo qual é a nação que realmente sabe jogar basquetebol.

No entanto, com a evolução do jogo internacional, será realmente precisa a ajuda de todas as super estrelas que estiverem aptas para tal.

Foto De Capa: Team USA

Revisto por: Jorge Neves

Comentários

Artigo anterior10 coisas que a WWE nos quer fazer esquecer sobre John Cena
Próximo artigoA Taça Maldita
Pratica desporto desde os cinco anos, idade em que começou a jogar Basquetebol. Jogou ao serviço da Associação Desportiva Ovarense durante 12 anos (nos quais três foi campeão distrital de Aveiro). É licenciado em Gestão (ensino em Inglês) pelo ISEG e estudante no Mestrado de Finance pela mesma instituição. Instituição pela qual ainda pratica Basquetebol, tendo conseguido chegar ao Top-8 Nacional em duas épocas consecutivas. É uma pessoa com uma paixão pela modalidade e com uma forte opinião sobre a mesma, sempre aberto a diferentes visões e novas experiências.                                                                                                                                                 O Vicente não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.