A CRÓNICA: VITÓRIA QUE FAZ APROXIMAR DO PÓDIO

O Dragão Arena recebeu o encontro entre o FC Porto e a UD Oliveirense, que resultou na vitória da turma de Oliveira de Azeméis por 79-90, jogo este a contar para a vigésima segunda ronda da Fase Regular do campeonato nacional. Sendo um jogo considerado de elevada tensão e qualidade, ambas as equipas demonstraram essa realidade. De um lado, a equipa azul e branca que vinha de um histórico de seis vitórias consecutivas e, do outro lado, a equipa bicampeã nacional de basquetebol.

O primeiro período justificou toda a expectativa relativamente ao encontro, onde foram concretizados 50 pontos. O FC Porto entrou em vantagem, mas os unionistas rapidamente mostraram a sua vontade em vencer. Foram trocados cestos, quer dentro quer fora da linha de três pontos, e a percentagem de acerto de ambas as equipas era elevadíssima. No segundo quarto, a equipa azul e branca decresceu na sua produção ofensiva e a UD Oliveirense foi para o intervalo a vencer por 41-44.

Na segunda parte do encontro, os comandados de Moncho López continuaram sem qualquer tipo de pressão ofensiva e foi isso que deu alento à UD Oliveirense pois, a partir da vantagem que criaram antes de soar a buzina do intervalo, nunca mais largaram a dianteira do marcador. A turma de Norberto Alves chegou, inclusive, a alcançar uma margem de 17 pontos de diferença para a equipa portista.

A FIGURA

Fonte: UD Oliveirense
Anúncio Publicitário

Shonn Miller – O poste norte-americano representante da UD Oliveirense mostrou serviço. Num jogo onde as qualidades individuais se demonstraram, Shonn Miller anotou 22 pontos, três assistências e dez ressaltos. O jovem de 26 anos esteve claramente em destaque perante os azuis e brancos e demonstrou que está numa forma em ascensão.

O FORA DE JOGO

Fonte: FC Porto Sports

Transição ofensiva do FC Porto – Este foi um encontro com marcador resolvido nos detalhes e o maior detalhe de todos acabou por ser os turnovers. O FC Porto pecou imenso nas transições entre defesa e ataque, resultando num total de 15 turnovers, e, melhor que ninguém, a UD Oliveirense aproveitou isso da melhor forma.

ANÁLISE TÁTICA – FC PORTO

O FC Porto procurou, desde cedo, trabalhar e concretizar no jogo interior, passando entre a defesa da UD Oliveirense. A opção dos bloqueios para circular melhor a bola no ataque até chegar à zona “do garrafão” foi uma boa escolha por parte de Moncho López que conseguiu gerar resultado.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Rawle Alkins (7)

Brad Tinsley (4)

Kayel Locke (5)

Preston Purifoy (5)

Sasa Borovnjak (7)

SUBS UTILIZADOS

Pedro Pinto (4)

Francisco Amarante (3)

João Soares (5)

Miguel Queiroz (4)

ANÁLISE TÁTICA – UD OLIVEIRENSE

A forma como a turma de Norberto Alves pareceu fluída, ao ponto de tudo parecer estar a correr bem. O seu jogo passou pela capacidade de lançamento e percentagem de acerto da linha de três pontos e também pela comunicação entre equipa, que levou às extraordinárias exibições de Shonn Miller e Corey Sanders.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Corey Sanders (8)

João Balseiro (5)

Duda Sanadze (7)

Shonn Miller (8)

Marc-Eddy Norelia (7)

SUBS UTILIZADOS

André Bessa (6)

João Grosso (5)

João Guerreiro (7)

Foto de Capa: UD Oliveirense

Comentários