2.

Rafael Lisboa (20 anos) – Formado no SL Benfica, e atualmente treinado pelo seu pai, Carlos Lisboa, Rafael foi considerado o melhor jogador do campeonato da Europa de Sub-20. Rafael já se havia estreado com a camisola encarnada quando tinha apenas 18 anos. No entanto, o excelente desempenho no europeu abriu-lhe as portas para uma época de maior afirmação, com mais minutos e outra preponderância na equipa lisboeta.

Carlos Lisboa, todavia, apresenta algum receio em apostar no filho como referência principal na posição onde atua. Ainda assim, já lhe ofereceu mais minutos e depositou em Rafael Lisboa maior confiança, escolhendo-o como um dos principais jogadores a sair do banco. Aliás, é importante sublinhar que o jovem base só não obteve mais minutos por causa do contexto exigente em que esteve inserido e pela «competição feroz» interina que teve de enfrentar (Toure Murry numa primeira fase, e depois Anthony Ireland). Apesar disso lhe ter custado alguns minutos por jogo, pode-se dizer que Rafael sai desta época como um jogador mais completo e melhor adaptado à exigência de atuar, quer na LPB, quer na FIBA Europe Cup.

Não esquecer, inclusive, que Lisboa foi nomeado para o prémio revelação da FIBA Europe Cup esta temporada. Venceu ainda um Cosme Damião no dia 4 de Março do ano vigente, referente ao galardão “Revelação Modalidade”.

CARATERÍSTICAS E ESTATÍSTICAS

Anúncio Publicitário

Fantástico a encontrar os seus colegas nas mais diversas situações de jogo (transição ou jogo posicional) e muito perspicaz na tomada de decisão, Lisboa demonstrou estar um jogador muito maduro e ser bem mais do que um «mero» lançador de 3 pontos, como era preconcebido. Defensivamente, ainda está muito «verde» e a sua complexidade física não ajuda. Contudo, apresenta bons reflexos e boa capacidade de roubar bolas.

O jovem português participou em todos os jogos do SL Benfica (22 no total), e teve, em média, 7 pontos, 2 ressaltos, 5 assistências e 1 roubo de bola por jogo. Tudo isto em apenas 17 minutos por partida, e com uma percentagem positiva em lançamentos de 2 pontos (54%).

Em suma, o base português realizou uma temporada proveitosa, deixando, todavia, uma sensação amarga, já que o seu rendimento justificava outra presença dentro das 4 linhas. Não obstante, denota-se pronto para ser uma das principais figuras da seleção nacional nos próximos anos.