A CRÓNICA: O LEÃO RUGIU MAIS ALTO E CONQUISTOU A VITÓRIA

O Pavilhão Unidade Vimaranense foi palco de um dos encontros da 19.ª ronda do Campeonato Nacional de Basquetebol. Desta vez, o Vitória SC recebeu o, à data, líder Sporting CP. Com a equipa de Guimarães a querer cimentar o seu lugar nos oito primeiros da tabela, apesar de não estar a atravessar o melhor momento na época, esperava-se um bom jogo de basquetebol, dado que também os leões queriam marcar passo no lugar cimeiro da tabela.

Numa entrada de baixo nível e rendimento para ambas as equipas, o primeiro quarto foi algo tranquilo. Foram dez minutos marcados por bastantes faltas e também bastantes pontos perdidos por lançamentos falhados. Os leões saíram por cima, vencendo por 15-20 à entrada para o segundo período.

No segundo tempo, já se viu um maior critério ofensivo em ambas as equipas, que fez com que o parcial acabasse empatado. Apesar de ainda com algumas lacunas a nível defensivo, foi notório o “acordar” tanto dos vimaranenses como dos leões para o jogo. A influência de Travante Williams no Sporting CP e de Coreontae Berry no Vitória SC fez mossa no segundo período, e o equilíbrio esteve sempre algo presente.

A maior vantagem no período foi do Sporting CP, por oito pontos, mas que Tyler Seibring, com um lançamento de três pontos certeiro ao soar da buzina, conseguiu reduzir para cinco pontos, mantendo tudo igual em relação ao primeiro período e empatando o parcial do segundo. À ida para o intervalo, a equipa de Luís Magalhães levava a melhor, por 32-37.

O terceiro período acabou por correr melhor à turma verde e branca. Com uma maior taxa de acerto nos lançamentos interiores, o jogo parecia bastante virado a favor dos leões. A vantagem no marcador ia aumentando, à medida que os minutos passavam, e o Sporting CP entrou no último quarto a vencer por 51-60.

Anúncio Publicitário

O Vitória SC começou a causar algum desconforto à forma de jogar dos leões, começando a aproximar-se cada vez mais no marcador. Tyler Seibring parecia não falhar, Coreontae Barry continuava fortíssimo no jogo interior e a equipa de Guimarães chegava perto. Pedro Catarino, que só encontrou no último período, começou a fazer a diferença a favor dos leões. João Fernandes e Coreonate Berry acabaram por ser excluídos do jogo, após fazerem a quinta falta pessoal e as equipas acabaram por perder elementos importantes. A turma de Carlos Fechas acabou por fazer mossa, ao aproximar-se bastante no marcador, mas o Sporting CP não deu abébias e acabou mesmo por vencer o encontro por 77-82.

 

A FIGURA

Entrada de Diogo Ventura e Pedro Catarino – Para além da tremenda exibição de Travante Williams (mais uma), as entradas de Diogo Ventura e Pedro Catarino fizeram bastante diferença no jogo do Sporting CP e foram dois dos fatores que levaram a esta vitória dos leões. Se Pedro Catarino tivesse entrado mais cedo no encontro, a mossa ainda podia ser maior.

 O FORA DE JOGO

Primeiro período do encontro – Num encontro que opôs duas equipas com dois objetivos diferentes, mas que necessitam dos mesmos meios para os alcançar, esperava-se uma entrada muito mais fogaz no jogo do que aquela apresentada.

 

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

 A nível defensivo, a equipa de Carlos Fechas recorria, sempre que possível, à marcação individual.

As transições ofensivas do Vitória SC caracterizaram-se por ser bastante rápidas quando iniciadas, jogando no erro da defensiva sportinguista. Aquando de não ser possível contra-atacar, os vimaranenses optavam sempre pelo jogo interior, de forma a fazer a bola chegar a Berry, dada a sua constituição física que prevalecia sobre a estatura de alguns jogadores do Sporting CP. 

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Jaron Hopkins (6)

André Bessa (7)

Alfred Parrish (8)

Coreontae Berry (7)

Tyler Seibring (7)

SUBS UTILIZADOS

João Ribeiro (4)

Ricardo Monteiro (6)

Alexander Peacok (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

Viu-se um Sporting que valorizou bastante as jogadas individuais pelo interior e a defesa individual, como Luís Magalhães habitualmente apresenta a sua equipa.

A nível ofensivo, para além da visível influência de Travante Williams, o Sporting CP arrecadou um grande número de pontos através da linha de lance livre, aproveitando o jogo faltoso do Vitória SC, e também através do jogo interior algo rápido, descoordenando a defesa vitoriana.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Travante Williams (9)

John Fields (7)

Shakir Smith (7)

João Fernandes (6)

James Ellisor (6)

SUBS UTILIZADOS

Francisco Amiel (-)

Diogo Ventura (9)

Claúdio Fonseca (5)

Pedro Catarino (8)

Micah Downs (6)

Foto de Capa: Federação Portuguesa de Basquetebol

Artigo revisto

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome