A CRÓNICA: FINAL EXCECIONAL QUE FAZ JUS À LIGA

O jogo começou com um primeiro período bastante interessante, repartido e renhido. O FC Barcelona começou a vencer, mas o Baskonia aproveitou muitos dos erros da equipa catalã para virar o resultado do encontro. Com um “empurrão” na bola ao cesto no último segundo, o Baskonia terminou os primeiros dez minutos a liderar o marcador por 17-16.

No segundo quarto, o FC Barcelona sentiu-se inconformado com a desvantagem de um ponto e tomou a liderança. A equipa catalã conseguiu um parcial de 10-0 nos primeiros quatro minutos do período. O Baskonia ainda tentou equilibrar as contas, aproveitando inúmeros contra-ataques, mas o encontro foi para intervalo com um 39–33 no marcador, a favor do FC Barcelona.

O retomar do encontro foi marcado por um número grande de faltas cometidas por ambas as equipas. Um início de segunda parte pausado devido às faltas, mas, que com o passar do jogo, começou a acelerar. Foi um terceiro período marcado por diversos contra-ataques a grande velocidade e tomadas de decisão de passe bastante rápidas. Quem dominou o terceiro período foi o Baskonia que diminuiu a desvantagem de 6 pontos e conseguiu empatar a partida a 51-51.

O último quarto do encontro começou quente. Foram 19 os pontos concretizados, no total, pelas equipas apenas nos primeiros quatro minutos do período. A faltarem apenas cinco minutos para o final da partida, o FC Barcelona perdeu um jogador-chave, Nikola Mirotic, por acumular faltas. A emoção continuou até aos segundos finais da partida, pois o resultado não saía de um empate constante entre as equipas.

Anúncio Publicitário

Apenas nos últimos dez segundos da partida ficou decidido, após um passe para a zona interior, que o Baskonia se tornaria campeão espanhol de basquetebol. O FC Barcelona ainda tentou aproveitar um último ataque, a três segundos do final, mas a pressão falou mais alto.

Com um resultado final de 67-69, o Baskonia voltou a ser campeão 10 anos depois.

A FIGURA

Luca Vildoza – Vildoza foi das peças mais importantes no jogo do Baskonia e no alcançar da vitória. A sua visão de jogo e concretização de pontos foram fulcrais para a conquista do campeonato. Após a sua lesão, voltou em grande forma e continuará a ser um jogador para ver e acompanhar.

O FORA DE JOGO

O pavilhão vazio – Uma final tremenda como a que foi vivida entre o FC Barcelona e o Baskonia merecia aquilo que mais vida dá ao jogo para além da quadra. O pavilhão em Valencia merecia mais vida do que teve, mas é uma infeliz nova realidade devido ao panorama que se vive mundialmente.

ANÁLISE TÁTICA – FC BARCELONA

O FC Barcelona optou por uma abordagem de jogo mais ofensiva. A procura pela posição interior e o concretizar de pontos nessa mesma posição foi a chave do FC Barcelona durante a partida, no entanto não foi suficiente para alcançar a vitória.

 CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

 Victor Claver (5)

Adam Hanga (5)

Corey Higgins (7)

Nikola Mirotic (6)

Ante Tomic (4)

SUBS UTILIZADOS

Thomas Heurtel (8)

Brandon Davies (5)

Kyle Kuric (6)

Pierre Oriola (5)

Alex Abrines (3)

ANÁLISE TÁTICA – SASKI BASKONIA

Desde o início da partida que a equipa do Baskonia optou por um jogo mais defensivo. Os seus pontos e o seu decorrer de jogo partiram de erros do adversário, que acabaram por ser bem aproveitados pela equipa basca. A busca pelo erro do FC Barcelona e os contra-ataques com aproveitamento foram o ponto forte do Baskonia ao longo da partida.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Micheal Eric (5)

Pierria Henry (5)

Tornike Shangelia (8)

Shavon Shields (7)

Luca Vildoza (8)

SUBS UTILIZADOS

Zoran Dragic (5)

Ilimane Diop (7)

Matt Jenning (6)

Achille Polonara (6)

Foto de Capa: Baskonia

Comentários