A CRÓNICA: PÉSSIMO SEGUNDO PERÍODO DEITA POR TERRA ASPIRAÇÕES EUROPEIAS

Em jogo da sexta e última jornada da FIBA Europe Cup – Segundo Nível, o SL Benfica foi à Dinamarca em busca de uma vitória, que a acontecer, significaria a permanência dos encarnados na competição.

Com este objetivo em mente, a equipa treinada por Carlos Lisboa entrou forte no jogo, e em menos de cinco minutos já havia conseguido uma vantagem de 11-4. No entanto, a equipa dos Bakken Bears estabilizou na partida, e conseguiu em poucos minutos anular a desvantagem e acabou o primeiro período na frente por um ponto.

No entanto, foi o segundo quarto que acabou por definir o jogo. Os dinamarqueses estiveram muito fortes e o SL Benfica foi incapaz de travar o ataque dos Bears ao mesmo tempo que sentia também muitas dificuldades em colocar a bola no sexto. Parcial de 33-14 nos segundos dez minutos e resultado de 54-34 ao intervalo, que deixava as esperanças europeias do Benfica em grande perigo.

Na segunda metade do encontro, os encarnados foram incapazes de recuperar do péssimo segundo período e a equipa dos Bears soube gerir a vantagem. O SL Benfica ainda tentava recuperar com alguns parciais que encurtavam a vantagem até aos dez pontos. No entanto, faltou força à equipa portuguesa para recuperar esses últimos pontos e o resultado nunca chegou a estar verdadeiramente em causa.

No final, vitória para a equipa dinamarquesa, que assim subiu ao segundo lugar do grupo e garantiu a passagem à próxima fase da prova em detrimento do SL Benfica. Já a equipa de Carlos Lisboa parece atravessar a pior fase da época, com três derrotas consecutivas, com os encarnados a serem eliminados desta FIBA Europe Cup, depois de no fim de semana terem perdido a liderança do campeonato, consequência da derrota frente ao Sporting CP. O foco volta agora a estar totalmente nas provas internas e o Benfica precisa de reencontrar a sua melhor forma se pretende alcançar os objetivos que ainda tem.

A FIGURA

Fonte: FIBA Europe Cup

Segunda parte dos Bakken Bears – Muito mérito para a equipa dinamarquesa, que durante a segunda metade da partida soube sempre manter a cabeça fria e não deixou escapar a larga vantagem que construiu no segundo período.

O FORA DE JOGO

Fonte: FIBA

Segundo quarto do SL Benfica – Após um bom início de jogo e um final de primeiro período equilibrado, os encarnados desmoronaram por completo nos segundos dez minutos. Sem conseguir marcar nem travar o ataque dinamarquês, este segundo quarto acabou por ditar o afastamento do Benfica da FIBA Europe Cup.

ANÁLISE TÁTICA – BAKKEN BEARS

Os dinamarqueses procuraram explorar a área restritiva do Benfica, o que no final do jogo se traduziu numa clara vantagem no número de ressaltos ofensivos conquistados. Defensivamente, o jogo dos Bears passou por defender o jogo interior, impedindo o Benfica de alguma vez impor o seu jogo interior.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Adama Darboe (7)

Ryan Evans (7)

Darko Jukic (7)

Tylor Ongwae (5)

Michel Diouf (7)

SUBS UTILIZADOS

Chris Ortiz (6)

David Efianayi (-)

Simon Neidhardt (-)

Morten Sahlertz (3)

Jonathan Galloway (4)

Nimrod Andrew Hilliard IV (7)

Thomas Laerke (4)

 

ANÁLISE TÁTICA – SL BENFICA

O Benfica foi fiel a si mesmo, focando o seu jogo principalmente no tiro exterior. No entanto, a estratégia acabou por não colher frutos, pois quando os lançamentos deixaram de cair, os encarnados não foram capazes de criar através do jogo interior. Na defesa, Eric Coleman, como único poste, não foi capaz de travar os jogadores interiores dos Bears.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Anthony Ireland (7)

Eric Coleman (5)

José Silva (4)

Betinho Gomes (6)

Arnette Hallman (4)

SUBS UTILIZADOS

Anthony Hilliard (7)

Fábio Lima (4)

Gary McGhee (6)

Rafael Lisboa (3)

Damian Hollis (5)

Foto de Capa: FIBA Europe Cup

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários