Kawhi Leonard, no passado dia 6 de julho, deu a conhecer ao mundo a sua decisão: o jovem extremo atual campeão da NBA e “finals MVP” decidiu voltar a sua cidade natal de Los Angeles e assinar pelos Clippers!

Fontes seguras e próximas do jogador confessam ter estranhado que a grande maioria dos orgãos sociais pusesse a equipa dos Clippers de parte e que tudo indicava que este fosse para os Lakers ao invés. No entanto, é dito que Kawhi não teria interesse em juntar-se a uma equipa que já contava com LeBron James, jogador que muitos apontam como ainda sendo o melhor jogador do mundo, e Anthony Davis, aquele que é a jovem estrela em quem muitos vem um futuro muito promissor. Leonard, diz-se, achava que essa decisão iria fazer com que este fizesse parte de uma super equipa e a competitividade no geral iria diminuir.

Assim, Kawhi decidiu executar uma jogada de xadrez e assinar um contrato a 3 anos por 103 mil 742 milhões de dolares. Este contrato contem 2 anos garantidos e o ano final é opção do jogador. O que faria dele um agente livre, outra vez, em 2021.

Kawhi Leonard ruma assim a Los Angeles mas não irá sozinho. O extremo Paul George dos Oklahoma City Thunder já teria pedido a transferência, após discussão com Leonard, para ir ele tambem para os Clippers. Assim, no mesmo dia, George foi transferido para os Clippers a troco do extremo Danillo Gallinari, 4 escolhas da primeira ronda não protegidas (mesmo que seja a primeira escolha, pertence a Oklahoma agora), 1 escolha protegida da primeira ronda e duas trocas de escolhas (significa que se a escolha do ano em disputa dos Clippers for melhor, então essa escolha ir para os Thunder, caso contrario, os Thunder mantem a sua escolha).

Assim, com estas transferencias, o melhor trio defensivo estará formado e ira jogar pela equipa menos pouplar da cidade do Anjos, os Clippers. A equipa conta agora com Kawhi Leonard (2nd team all defense), Paul George (1st team all defense) e Patrick Berverley (duas selecções para melhor 5 defensivo, em 2017 e 2014).
Westbrook jogou 11 temporadas ao serviço dos Thunder
Fonte: NBA

Com a partida de Paul George, a estrela Russel Westbrook ficaria “sozinha” em OKC uma vez mais (como em 2017 apos a partida de Kevin Durant). Neste modos, a equipa de gestão de Oklahoma não perdeu muito tempo e tentou logo encontrar nova casa para o MVP de 2017 e 8 vezes All-Star. Ainda se falou em junta-lo a Jimmy Butler em Miami, mas devido a problemas de tectos salariais seria preciso uma terceira equipa para fazer essa troca acontecer.

Assim, na passada madrugada de 12 de julho, o base foi trocado para os Houston Rockets, do tambem MVP James Harden. Westbrook é transferido a troco do também 9 vezes all star Chris Paul (que de certo irá tambem ser transferido) e escolhas da primeira ronda do draft de 2024 e 2026 e trocas de escolhas nos drafts de 2021 e 2025.

Assim, os Rockets contam agora com dois jogadores de elevado calibre nas posições de base e base extremo e que foram ambos MVP’s da liga! Já tinham feito parte do mesmo plantel entre 2009 e 2012 quando ambos jogaram pelos Thunder. Jornada essa que valeu a Harden o premio de melhor 6º homem em 2012 e uma ida para ambos as finais da NBA onde viriam a perder para os Miami Heat de LeBron James.

No meio destas trocas todas, quem fica detentor de um novo recorde é Stephen Curry, que se torna agora no jogador (no ativo) com mais épocas seguidas pela equipa onde atua, com 10. Este recorde era detido por Russel Westbrook, que tinha 11.
Curry detêm o recorde mais temporadas seguidas pelos Golden State Warriors, com 10
Fonte: Golden State Warriors

Com o mercado de transferências mais “louco” de que há memória nos últimos tempos, a época da NBA que se avizinha promete ser uma das que mais competitivas e das quais ser irá falar por muitos anos.

Foto de Capa: LA Clippers

Comentários