A CRÓNICA: CURRY ABRAÇOU KD, MAS OS WARRIORS NÃO ABRAÇARAM CURRY

O jogo inaugural da temporada 2020/2021 teve início em Brooklyn, num confronto de reencontros de «velhos» amigos. A partida, essencialmente, marcou o regresso das estrelas. Kevin Durant voltou após a lesão gravíssima sofrida diante os Raptors em 2019 (curiosamente a representar a equipa dos Warriors), ao passo que Stephen Curry e Kyrie Irving já não atuavam desde março e fevereiro, deste ano, respetivamente.

O início do encontro ficou marcado com um abraço simbólico entre Curry e KD que partilharam os balneários entre 2016 e 2019.

O arranque do encontro vestiu-se de preto e branco. Os Nets iniciaram a todo o gás, com Kyrie Irving e KD a alavancar uma vantagem interessante no primeiro quarto de 25-40. Se por um lado, a quantidade de pontos marcados não eram um grande motivo de alarme para a equipa forasteira, os pontos sofridos deixavam Steve Kerr “maluco” com a facilidade com que os exteriores definiam na zona pintada.

Anúncio Publicitário

Paulatinamente os Nets iam continuando a cavar uma vantagem considerável e a cada lançamento falhado dos Warriors, sucedia-se uma transição fácil para a equipa de Brooklyn. Com LeVert e Shamet em destaque como opções de “segunda”, a equipa orientada por Steve Nash mantinha-se confortável na partida, ao passo que, nem os 16 pontos ao intervalo de Stephen Curry, irradiavam as esperanças dos Warriors. Entre todos os realces negativos de Golden State, a destacar a estreia positiva de Wiseman que ao intervalo já fazia sete pontos, quatro ressaltos e dois roubos de bola.

O terceiro quarto acabou por ser a machadada final da equipa da casa, que ratificou o domínio exercido durante toda a primeira parte. Mais uma vez, os Warriors voltaram a demonstram imensas dificuldades a controlar a transição ofensiva da equipa da casa, na medida em que Irving ou LeVert desbloqueavam e construiam jogadas com demasiada facilidade. Nem foi preciso um KD «extraterrestre» para afrontar os Warriors, que demonstrou sinais de verdura e inoperância tática.

O último e derradeiro quarto foi apenas um treino para ambas as equipas, aproveitando para utilizar os jogadores de rotação para concluir a partida inagural da temporada 2020/2021.

Em suma, nem foi preciso muito KD para os Nets caminharem para uma vitória plácida, com pouco «barulho» do outro lado. Entre o mal de Golden State, a salientar, mais uma vez, a estreia muito positiva do rookie Wiseman, terminando a partida com 19 pontos (!) prometendo muito para quem já não competia há mais de 1 ano.

A FIGURA

Kyrie Irving (Brooklyn Nets) – Rapidamente resolveu a partida, descobrindo espaços e driblando adversários com uma elegância e confiança que lembra os tempos áureos do «uncle drew». A primeira parte chegou para criar danos irreversíveis nesta equipa dos Warriors. Terminou com 26 pontos (62% em lançamentos de campo), 4 assistências e 4 ressaltos.

O FORA-DE-JOGO

Andrew Wiggins (Golden State Warriors) – Jogo para esquecer do jovem norte americano. Para além de ter sido o jogador com mais turnovers na partida, a bola parecia queimar nas suas mãos. Cometeu erros atrás de erros e falhou lançamentos pelos quais um jogador da sua capacidade técnica não pode falhar. Apesar dos 13 pontos, terminou com uma percentagem desastrosa de 25% em lançamentos de campo.

ANÁLISE TÁTICA – GOLDEN STATE WARRIORS

A equipa comandada por Steve Kerr alinhou com o 5 esperado (e possível) atuando com Stephen Curry a comandar as operações em praticamente todas as fases do jogo. Sem grande capacidade de fazer frente ao jogo interior de Brooklyn, a equipa dos Warriors atuaram com os postes longe da zona pintada, oferecendo agressividade qb para os experientes KD e Jordan. Apesar da enorme capacidade individual de Curry foram raros os momentos de isolação proporcionados para a estrela dos Warriors. A anarquia em jogo posicional com a maioria das jogadas a terminar em lançamentos contestados foi o reflexo de um jogo ofensivo muito aquém do esperado.

 

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Stephen Curry (7)

Kelly Oubre JR (5)

Andrew Wiggins (2)

Eric Paschall (5)

James Wiseman (7)

SUBS UTILIZADOS

Kent Bazemore (6)

Kevin Looney (5)

Mychal Mulder (6)

Damion Lee (5)

Jordan Poole (5)

Brad Wanamaker (6)

Juan Toscano-Anderson (5)

ANÁLISE TÁTICA – BROOKLYN NETS

Os «pupilos» de Steve Nash atuaram com uma avidez tremenda pela transição, aproveitando as constantes brechas deixadas pelos Warriors. Em organização ofensiva a equipa dos Brooklyn Nets procuravam explorar essencialmente as isolações de KD e Kyrie Irving, sendo que a facilidade de execução no 1vs1, por si só, desiquilbrava de forma gritante a frágil defensiva de Golden State. A qualidade técnica individual e os comportamentos coletivos bem sincronizados, não ofereceu qualquer hipótese à má organização defensiva dos Golden State Warriors.

5 INICIAL E PONTUAÇÕES

Kyrie Irving (9)

Joe Harris (6)

Kevin Durant (8)

DeAndre Jordan (7)

Spencer Dinwiddie (7)

SUBS UTILIZADOS

Jarrett Allen (6)

Caris LeVert (8)

Taurean Prince (5)

Reggie Perry (4)

Bruce Brown (5)

Jeff Green (6)

Timothe Luwawu-Cabarrot (5)

Landry Shamet (7)

Rodions Kurucs (5)

Tyler Johnson (5)

Foto de Capa: NBA

Artigo anteriorQuerido, reforcei a equipa!
Próximo artigoFC Porto x SL Benfica | 11 combinado para a Supertaça
O Diogo lembra-se de seguir futebol religiosamente desde que nasceu e de se apaixonar pelo basquetebol, assim que começou a praticar a modalidade (prática que durou uma década). O diálogo desportivo, nas longas viagens de carro com o pai, fizeram o Diogo sonhar com um jornalismo apaixonado e virtuoso.                                                                                                                                                 O Diogo escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome