Cabeçalho modalidades

Foi agitada, rápida e surpreendente a trade deadline da NBA, que ocorreu no passado dia 8 de fevereiro. O fim do “mercado de trocas”, se assim lhe pudermos chamar, da melhor liga de basquetebol do planeta trouxe uns renovados Cavaliers, um regresso especial e vários negócios inesperados, enquanto que alguns dos rumores que circulavam pela liga desde há uns meses acabaram por não se concretizar.

Os Cleveland Cavaliers foram claramente a nota de destaque do último dia de trocas na NBA. Os vice-campeões adquiriram quatro jogadores, deixaram sair seis e estrearam as novas caras com uma vitória convincente em casa dos líderes do Este, os Boston Celtics. Isaiah Thomas, Derrick Rose, Dwyane Wade, Iman Shumpert, Jae Crowder e Channing Frye disseram adeus a Cleveland, permitindo aos Cavs adquirirem os bases George Hill, Jordan Clarkson e Rodney Hood e o extremo-poste Larry Nance Jr. Com estas movimentações, Tyronn Lue ganha não só um rejuvenescimento da equipa (os Cavs eram a equipa mais velha da liga), como ainda um claro melhoramento da sua defesa, o principal problema a resolver. Mais do que isso, os Cavaliers conseguiram melhorar a equipa e manter a pick dos Brooklyn Nets, o que permite ter uma pequena esperança de um futuro risonho caso LeBron James saia no verão.

Em Miami, um regresso muito saudado. Depois de uma saída conturbada no verão de 2016, Dwyane Wade está de regresso aos seus Heat e ainda não parou de sorrir. O mítico número 3 dos Heat, que já foi campeão três vezes pela equipa da Florida, deixou os Cavaliers por quase nada, depois de ter revelado a sua vontade de regressar àquela que considera ser “a sua casa”. Wade “estreou-se” pela turma de Erik Spoelstra no dia seguinte à troca e apesar de ter estado algo recatado ofensivamente, foi importante para garantir a vitória sobre os Milwaukee Bucks.

O pavilhão explodiu aquando da entrada de Wade em campo no seu regresso a Miami Fonte: Miami Heat
O pavilhão explodiu aquando da entrada de Wade em campo no seu regresso a Miami
Fonte: Miami Heat

No resto da liga, algumas adições interessantes. Os Lakers adquiriram Isaiah Thomas, Channing Frye, que vêm dar algo novo ao ataque da equipa de L.A., para além de uma escolha de primeira ronda no draft. Jae Crowder e Derrick Rose rumaram a Utah (o segundo já foi dispensado e tem sido sondado pelos Minnesota Timberwolves) e Joe Johnson e Iman Shumpert acabaram nos Kings. Emmanuel Mudiay tem direito a um recomeço de carreira nos Knicks, enquanto que os Magic não poderiam deixar de  fazer mais um negócio estranho mesmo em cima do tempo. A equipa de Orlando trocaram o seu base, Elfrid Payton (por quem em 2014 tinham dado uma escolha de 1.ª ronda, uma de 2.ª e Dario Saric), por uma simples escolha de segunda ronda, num negócio com os Phoenix Suns. A renovação do plantel dos Magic não irá embora tão cedo.

Resumindo, o dia 8 de fevereiro trouxe uns Cavs rejuvenescidos, tal como ficou demonstrado em Boston, um Wade novamente feliz, uns Lakers a prepararem o verão e mais uma edição de “O que estão os Magic a fazer?”. Por outro lado, jogadores como Lou Williams, DeAndre Jordan, Tyreke Evans, Avery Bradley ou Aaron Gordon acabaram por se manter nas suas equipas, quando todos os rumores apontavam para uma vontade das suas equipas em negociá-los (Lou William até teve direito a renovação de contrato).

Foto de Capa: Cleveland Cavaliers

Comentários