A CRÓNICA: O JOGO DAS ESTRELAS E DAS EMOÇÕES

Mesmo com o ano atípico que o mundo atravessa, o All-Star Game voltou a realizar-se, sendo esta a sua 70ª edição. Em Atlanta, defrontaram-se a Team LeBron e a Team Durant. Com várias alterações mesmo durante o dia da realização do jogo, devido aos protocolos de segurança e saúde, o jogo começou com o formato do último.

Partindo do princípio, cada um dos primeiros três períodos começa com o resultado a zeros com a mesma duração de um encontro normal da NBA. O vencedor de cada período seria, obviamente, a equipa que pontuasse mais. Que se passe, então, ao que importa.

O primeiro período ficou marcado pelos triplos de Stephen Curry lançados praticamente do meio do campo, as tentativas de alguma coisa de Zion Williamson (que não passavam de tentativas) e os afundanços em massa, já na parte final, de vários elementos da Team Durant. No final dos 12 minutos, venceu a Team LeBron por um ponto. 40-39!

Reiniciou-se o marcador, começou o segundo período. As equipas começaram a acertar o passo e a levar o jogo mais a sério. Não deixando aquilo que é a “nota artística” de fora, o jogo sério começou a aparecer, com uma defesa mais restritiva. Team LeBron ou Team do lançamento do meio-campo? Já ninguém sabe, principalmente depois de ver Damian Lilliard e Stephen Curry a acertar sem espinhas no cesto em dois lances seguidos. Para além disso, ficam marcados também os afundanços de Chris Paul e também de Curry. Ficou o 60-41 a favor da Team LeBron, assumindo um 100-80 no agregado.

Anúncio Publicitário

Voltou-se a reiniciar o marcador e a Team Durant entrou mais séria no encontro, dada a desvantagem no agregado. Sem grandes cerimónias, Giannis foi tomando conta do jogo e, com triplo de Donovan Mitchell no soar da buzina, o terceiro período fechou com vitória, mais uma vez, da Team LeBron por um ponto. 46-45!

Chegados ao último período, as regras seriam diferentes, sendo que não existiria cronómetro. Aqui, somaram-se os pontos acumulados ao longo do encontro e acrescentam-se 24 pontos como objetivo, em homenagem a Kobe Bryant. A primeira equipa a alcançar ou ultrapassar o objetivo final de pontos venceria o All-Star Game. Neste caso, com a Team LeBron a vencer no agregado por 146-125, o objetivo a almejar (somando os 24 pontos) foram os 170 pontos.

Mesmo com a tarefa dificultada, a Team Durant não se deu por vencida. Com uma entrada fervorosa neste último quarto, só optavam pelos lançamentos exteriores e o tiro saía pela culatra. Com a falta de taxa de acerto, quem caminhava em direção ao objetivo, e bem depressa, era a Team LeBron. Kawhi Leonard, que jogou praticamente a passo durante todo o encontro, acordou na reta final para tentar ajudar a equipa, numa altura em que restavam nove pontos para a Team LeBron vencer. E esses nove pontos rapidamente apareceram com triplos atrás de triplos.

Fecharam-se as contas. Damian Lilliard fechou a loja com um triplo do meio-campo e acabou o All-Star Game com a vitória da Team LeBron por 170-150.

 

A FIGURA

Giannis Antetokounmpo – Não falhou qualquer lançamento e amealhou 35 pontos. Marcado por ser dos poucos a “jogar a sério” neste All-Star Game, Giannis teve números fantásticos e a sua postura na quadra não deixou ninguém indiferente. Um monstro, um senhor. Para além da figura do jogo Bola na Rede, foi também o MVP Kobe Bryant, escolhido pela NBA.

Fica a menção honrosa a Stephen Curry, pelos lançamentos exteriores e pela capacidade de colocar os adeptos da modalidade a pensar se a linha do meio-campo devia contar como uma linha de quatro pontos.

O FORA DE JOGO

Acontecimentos pré-jogo – As horas antes do encontro marcaram muito daquilo que depois acabou por acontecer. Os “convocados” Joel Embiid e Ben Simmons acabaram por ficar de fora devido aos protocolos de segurança, só tendo sido encontrado um substituto (Zion Williamson), fora a lesão de Devin Booker (que iria substituir o lesionado Anthony Davis) e que acabou substituído por Mike Conley.

 

ANÁLISE TÁTICA – TEAM LEBRON

Tão simples como a bola começar em Nikola Jokic de um lado, voar pela quadra fora e acabar ou em LeBron James ou Stephen Curry. A certo ponto, a percentagem brutal de acerto de Giannis Antetokounmpo também ajudou. A nível defensivo, pouca estratégia existiu, para além das tentativas de cortar passes (principalmente os passes costa a costa que muitas vezes apareceram).

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Giannis Antetokounmpo (10)

Stephen Curry (9)

Luka Doncic (7)

LeBron James (8)

Nikola Jokic (7)

SUBS UTILIZADOS

Jalen Brown (7)

Paul George (7)

Damian Lilliard (8)

Chris Paul (8)

Rudy Gobert (7)

Domantas Sabonis (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – TEAM DURANT

Não existiu uma estratégia definida para os momentos defensivos, mas a nível ofensivo existiu um Kyrie Irving Q.B. com pitadas de James Harden, para além dos constantes afundanços e lançamentos exteriores.

 CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Bradley Beal (7)

Kyrie Iring (8)

Kawhi Leonard (7)

Jayson Tatum (7)

Zion Williamson (6)

SUBS UTILIZADOS 

Zach LaVine (7)

Nikola Vucevic (7)

James Harden (8)

Julius Randle (7)

Donovan Mitchell (7)

Mike Conley (7)

Foto de Capa: Golden State Warriors

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome