Cabec¦ºalho ciclismo

O Giro d’Italia terminou ontem após 21 dias de puro espetáculo. No começo da primeira das três grandes voltas da temporada partiam como grandes favoritos à vitória final o espanhol Alberto Contador, que viria mesmo a conquistar a prova pela 2.ª vez (na prática ganhou três, mas perdeu uma na secretaria) na sua carreira, o australiano Richie Porte, que a certa altura as casas de apostas deram como grande favorito a ganhar o Giro, e Fabio Aru, que esteve quase para não participar devido a problemas estomacais e acabou mesmo por terminar em 2.º lugar e conquistar ainda 2 etapas. Contudo, houve muito, mas muito mais espetáculo naquela que para mim foi uma das melhores grandes voltas dos últimos anos.

Os melhores do Giro 2015:

  • Alberto Contador – o espanhol, que desde cedo disse publicamente que estava apenas a 80/85% das suas capacidades, isto, claro, tendo em vista o Tour, dominou por completo a prova italiana. Quase sempre sozinho contra 2, 3 ou mesmo 4 elementos da equipa Astana, Contador conseguiu na grande maioria das vezes dar excelente conta de si; não fosse a etapa número 20, onde o espanhol esteve em clara quebra e chegando mesmo a perder mais de 2 minutos para Fabiu Aru, e a vantagem seria acima dos 4 minutos. Não posso deixar de destacar a etapa número 16, que ligava Pinzolo a Aprica, onde Alberto Contador realizou uma das melhores exibições de ciclismo a que alguma vez assisti. Chapeó, Alberto Contador.
  • Mikel Landa/Fabio Aru – a dupla da Astana apresentou-se em grande nível durante toda a volta a Itália, excetuando uma ou outra ocasião, alias como tem vindo a ser habitual nos últimos anos no pelotão internacional, Fabio Aru e Mikel Landa, não fosse o tempo perdido no contrarrelógio, área onde ambos tem claramente que melhorar, poderiam ter complicado bastante a vida a Contador. Aru e Landa são, na minha opinião, os sucessores de Vincenzo Nibali e Alberto Contador, respetivamente.
  • Andrey Amador – o ciclista da Movistar, contra todas as expectativas, conseguiu alcançar um fabuloso 4º lugar; sem realizar nenhuma grande exibição, Amador fez da consistência a sua grande arma, chegando mesmo a certo ponto assaltar o pódio.
albertocontador
Contador (rosa) dominou a grande maioria da Volta a Itália.
Fonte: Facebook Oficial Alberto Contador

Resta-me ainda neste capitulo atribuir algumas menções honrosas: Ryder Hesjedal – Os anos parecem não passar para o canadiano. Realizando uma corrida em crescendo de forma, conseguiu um honroso 5º lugar,; Giovanni Visconti – Quando mutios pensavam que a camisola de melhor trepador iria para Benat Intxausti ou Steven Kruijswijk, o italiano surpreendeu e conquistou, desta forma, a Maglia Azzurra ; Philippe Gilbert – o belga, que não se conseguiu impor nas clássicas das Ardenas,  parece estar de volta à boa forma a e venceu 2 etapas em solo italiano.

Os piores do Giro 2015:

  • Richie Porte – o australiano, que, até aqui, vinha a realizar uma excelente temporada, não conseguiu aproveitar a grande, e vamos ver se não única, oportunidade de conquistar uma grande volta; Acabando mesmo por desistir da prova, Porte pareceu acusar bastante a pressão e nem o motorhome (secção de luxo do autocarro construído propositadamente para o Giro) conseguiu ajudar o australiano. Azares a mais para um ciclista que pretende conquistar uma prova de 3 semanas.
  • Astana – A equipa cazaque, liderada por Alexandre Vinokourov, não pode estar contente com a sua prestação; mesmo tendo em linha de conta que conquistou 5 etapas e colocou 2 ciclistas no pódio, penso que, se tivesse “jogado” de forma mais inteligente, poderia ter conseguido levar Aru ou Landa, talvez esta duvida tenha sido o grande problema, à conquista do Giro.

Uma pequena nota ainda para André Cardoso: o ciclista português voltou a fechar topo 25 numa grande volta, mais precisamente no 21º lugar. Mais uma excelente prestação de André Cardoso.

Foram 3 semanas de puro espetáculo! Como disse anteriormente, o Giro d’Italia de 2015 foi uma das melhores grandes voltas dos últimos anos.

Resta-nos agora ansiosamente esperar pelo Tour de France; Froome, Nibali, Quintana, Contador e ainda o nosso Rui Costa prometem não defraudar as expectativas.

Fotode Capa: Facebook Oficial Giro d’Italia

Comentários