Na 3ª jornada dos Campeonatos Universitários de Lisboa, a AAFDL e a AEISCAL defrontaram-se para mais um jogo recheado de golos. Direito, que vinha de uma derrota pesada frente à AEISEG, precisava urgentemente de voltar ao bons resultados, e à boa imagem deixada na jornada inaugural. Já os Guerreiros do Saldanha pretendiam encaixar a terceira vitória consecutiva.

Numa primeira parte com três golos, foram os advogados a fazer o primeiro da partida, aos 20 minutos: Gonçalo Maurício segurou na linha de fundo uma bola que parecia perdida, fez o que queria do jogador do ISCAL e atirou rasteiro a contar; o remate, contudo, ainda desviou no guardião iscalino antes de entrar na baliza.

A vantagem para os vermelhos e brancos acabaria por durar apenas 10 minutos: canto batido na esquerda para o coração da área, e Ricardo Espírito Santo, de cabeça, restabeleceu a igualdade no marcador. Era o ISCAL quem assumia as rédeas do encontro, e que chegaria ao segundo da noite aos 40 minutos, novamente pelo intermédio de Espírito Santo: momento de inspiração do avançado goleador, a desferir um remate magnífico de fora de área.

Fonte: Inês Catarino/ADESL

Nos primeiros minutos do segundo tempo, a equipa do IPL ampliou a vantagem para 3-1, através do craque do costume: Ricardo Espírito Santo, sem dó nem piedade, voltou a disparar sem medos do meio da rua.

Em cima do apito final, já nos minutos de compensação, ainda houve tempo para Tiago Bento acrescentar o seu nome à folha dos marcadores: na boca da baliza, o jogador do Politécnico de Lisboa não desperdiçou. 4-1 final para a equipa da AEISCAL, que é agora líder isolada à condição. Já a AAFDL, com uma nova derrota pesada, vê as suas contas complicarem, e tem cada vez mais trabalho pela frente.

Foto de Capa: Inês Catarino/ADESL

Comentários

Artigo anteriorLoeb, sua raposa velha
Próximo artigoEm Leicester, a tempestade veio após a bonança
O João é estudante de Jornalismo na Escola Superior de Comunicação Social. Herdou do avô o amor pelo Benfica e o gosto pela escrita. Pelo meio, encontrou a sua doença: o futebol. Apesar de ser presença assídua na Luz, a leitura que faz do jogo sempre o afastou de clubites agudas. Fora de portas, é simpatizante do Real Madrid e do AC Milan. Tem como maiores ídolos Cristiano Ronaldo e Pablo Aimar. Também não desgosta do Éder.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.