Anterior1 de 3

A ANTEVISÃO: DEPOIS DE MAKOTO TAMADA EM 2004, TAKAAKI NAKAGAMI VOLTA A DAR UMA POLE AO JAPÃO

Num ano tão atípico como o de 2020, Aragão é mais um circuito no qual haverá round two. Mas também não é menos verdade que, apesar de o circuito ser o mesmo, a história seja feita no asfalto espanhol. Mais à frente, verás que o piloto que ficará na pole position deste GP de Alcaniz estará, pela primeira vez, na frente de todo o grid.

À partida para a Q1, assistimos a um desfile de pilotos que são autênticas estrelas no mundo do desporto motorizado. O problema é que apenas dois passavam para a próxima qualificação e muitos deles teriam de se contentar apenas com as posições mais atrás da grelha de partida.

Jack Miller (Pramac Racing) e Pol Espargaró (KTM Factory Racing) iam ocupando as duas posições que davam acesso à Q2. Mas, no final da primeira qualificação, tudo ficou virado do avesso. As últimas voltas rápidas deram uma espécie de dança das cadeiras. Primeiro, sentou-se Jack Miller; depois, Aleix Espargaró (Aprilla Racing); e, por fim, foi Johann Zarco (Esponsorama Racing).

Anúncio Publicitário

Quando vinha numa volta rápida, Jack Miller acabou por desistir de melhorar o seu tempo. O problema é que também não estava a fazê-lo. Por isso, foi uma qualificação para esquecer para todas as Ducati.

Na Q1, estava já Miguel Oliveira à espera para também ele mostrar a sua KTM… e estávamos nós à espera de mais uma grande qualificação. Alex Rins (Suzuki Ecstar) começou em grande, e até Miguel Oliveira (Red Bull Tech3) passou pela frente. Contudo, foi Takaaki Nakagami (LCR Honda) que tomou o gosto à liderança da Q2, e de lá não mais saiu.

Nas últimas voltas rápidas, todos queriam as posições da frente, mas só um podia ficar com a pole. O vencedor foi Nakagami, que acabou com o tempo de 1.46:882. O piloto japonês fez história ao conseguir a sua primeira pole position em MotoGP e voltou a pôr a bandeira do sol nascente de volta numa pole desde 2004. Nas restantes duas posições, Franco Morbidelli (Petronas Yamaha STR) e Alex Rins vão partir da primeira linha da grelha.

Para domingo, perspetiva-se uma corrida interessante com Maverick Viñales (Yamaha) em 4.º, logo atrás da Takaaki Nakagami. Fabio Quatararo tem de fazer uma corrida excecional para que não aconteça novamente outro desastre, que o fez perder o mundial o fim de semana passado. Juan Mir, o líder do mundial, vai partir de 12.º lugar – foi uma qualificação para esquecer.

Miguel Oliveira, que partirá em 10.º lugar, pretende fazer melhor do que o último GP. A partir desta posição, podemos ter um novo grande lugar do piloto português. Arriscar-me-ia a dizer que teremos um novo vencedor de GP, já que este ano está fruto em novidades em pódios e primeiros lugares.

Anterior1 de 3

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome