A ANTEVISÃO: YAMAHA RESOLVEU-SE E BEM

O MotoGP chegou à Catalunha, mais propriamente ao circuito de Circuit de Barcelona-Catalunya. Num fim de semana solarengo, as Yamaha quiseram trazer a forma da Itália, e nos treinos livres dominaram novamente. Parece que há umas semanas andávamos nós a tentar perceber como é que a marca japonesa ia resolver o problemas das válvulas do motor. Hoje, parece resolvido.

Assim, na Q1, nenhuma Yamaha marcou presença. As honras de disputar um lugar entre os melhores ficaram para Jack Miller e Takaaki Nakagami. O japonês viu também regressar o seu companheiro de equipa, Cal Crutchlow, mas o britânico não foi além da 16º posição.


Na Q2, a luta pelas primeiras posições pertenceu às Yamaha e a mais ninguém. Franco Morbidelli conseguiu, desde cedo, colocar um tempo rápido no quadro. No fim, foi mesmo o mais rápido, conseguindo a primeira pole position da carreira, após também ter conquistado a primeira vitória no Grande Prémio de São Marino. Atrás de Morbidelli, Fabio Quartararo quis colocar as más exibições para trás e ficou a apenas duas décimas, com Valentino Rossi a completar a primeira fila da grelha para o construtor do diapasão.

Maverick Vinales, que vem da sua primeira vitória a semana passada, completou a qualificação na quinta posição. Entre os pilotos da Yamaha ficou a melhor das Ducati, Jack Miller. Numa pista com retas longas, as Ducati aproveitaram para chegar-se mais à frente, com Johann Zarco a fechar a segunda linha da grelha de partida.

Anúncio Publicitário

Apesar de a Ducati estar quase sempre no topo das tabelas de velocidade de ponta, na equipa oficial é mais um fim de semana para colocar de fora, ou não. Andrea Dovizioso vai sempre pontuando e vai mantendo viva a esperança do campeonato, mas a Desmosedici GP20 continua pouco competitiva. Danilo Petrucci foi o melhor em 9º, enquanto Dovizioso foi 17º.

Na KTM, a sorte não esteve com Miguel Oliveira. O piloto português começou bem o fim de semana na Catalunha, apurando-se para a Q2 diretamente, mas, na sessão de qualificação, perdeu a frente da RC16 e caiu. Ainda conseguiu andar, mas não foi além da 12º posição. Da marca austríaca, que também utiliza a velocidade de ponta neste circuito, Pol Espargaró foi o melhor na sétima posição.


Por fim, a notícia do fim de semana: Valentino Rossi vai estar na grelha em 2021 com uma Yamaha… até aqui nenhuma surpresa. Agora, em 2021, o experiente italiano estará na Yamaha Petronas, com apoio e uma moto de fábrica. Pode ser também um indicador para a fábrica japonesa começar a olhar mais para a Petronas? Espero que sim, com os contratos das equipas satélites a acabaram daqui a uns tempos!

Foto De Capa: Petronas Motorsport