Anterior1 de 3

A ANTEVISÃO: QUEREMOS A VITÓRIA, MIGUEL!

É a ronda final do Mundial de MotoGP, o Grande Prémio de Portugal, no Autódromo Internacional do Algarve. Apesar de não haver público nas bancadas, Miguel Oliveira tem enchido o coração dos portugueses de orgulho. O piloto da KTM Tech3 dominou nos treinos livres, conseguindo apurar-se diretamente para a Q2. Aí, mais uma vez, voou bem alto e na montanha russa que é o circuito algarvio conquistou a sua primeira pole position da carreira no MotoGP.

No final da qualificação, Miguel Oliveira era um piloto feliz, explicando que, apesar da pole, quer fechar o Grande Prémio com “chave de ouro”, ou seja, a vitória: «Sinto-me bem e estou a apreciar cada momento em pista. Estou contente com as voltas, mas, amanhã, quero terminar o objetivo e, para isso, temos de manter os pés bem assentes na terra. Experimentamos muitos pneus e várias afinações na moto. Esperamos ter feito um bom trabalho e quero terminar com “chave de ouro”», afirmou o português.

Com o conhecimento da pista, arrancar da primeira posição pode ajudar o português a conquistar a segunda vitória no MotoGP. E nós estaremos a torcer por ele com todas as nossas forças. Fiquem seguros e torçam pelo “Falcão” em casa!

Anúncio Publicitário

Na primeira fila da grelha de partida, Oliveira tem a companhia de Franco Morbidelli e Jack Miller. O piloto da Petronas SRT está na luta pela segunda posição do campeonato e, sendo que Alex Rins e Maverick Viñales apenas partem da oitava e décima posição, o italiano tem grandes hipóteses de se sagrar vice-campeão mundial.

Quem impressionou até agora no Grande Prémio de Portugal foi Stefan Bradl. O piloto que substituiu Marc Márquez na Repsol Honda não tem tido a melhor das épocas, devido ao pouco ritmo competitivo. Mas, no AIA, Bradl qualificou-se com a Honda RC213V, na sexta posição.

O campeão mundial, Joan Mir, é que não teve tarefa fácil no Grande Prémio de Portugal. Depois de não se conseguir qualificar para a Q2, o espanhol da Suzuki não conseguiu fazer melhor do que o 20º lugar, ou seja, parte da última fila da grelha. Para Mir «foi um dia difícil porque tivemos problemas com a moto e não estava a sentir o mesmo que ontem. Descobrimos um problema, mas já foi tarde para o resolvermos. Aí já tinha perdido as minhas hipóteses na qualificação. Mas, no geral, sinto-me bem aqui. Estou confiante de que amanhã posso dar tudo, ter um bom ritmo e finalizar bem».

Tal como Mir, a qualificação não correu de feição ao retornado Mika Kallio. O piloto finlandês foi o escolhido para substituir Iker Lecuona na Tech3, após este ter testado positivo à COVID-19 antes do TL3 em Valência. Ao Bola na Rede, Kallio explicou a sua primeira vez no circuito português, dizendo que «é um circuito muito técnico e difícil de aprender. Pensava que ia melhorar hoje, mas não aconteceu. Tenho tido problemas em colocar temperatura nos pneus, principalmente no dianteiro».

A época termina amanhã e parece que o Grande Prémio de Portugal está no bom caminho para ser regular no calendário do MotoGP. Da nossa parte, pode ficar já, mas, claro, faltam os acordos e estaremos cá à espera por notícias positivas.

Foto De Capa: MotoGP

Anterior1 de 3

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome