O Grande Prémio de Valência marca o fim da temporada de MotoGP. A grande surpresa do fim de semana foi o anúncio da retirada de Jorge Lorenzo. O espanhol, campeão do mundo em 2010, 2012 e 2015, com a Yamaha, retira-se após um ano marcado por lesões e exibições pouco conseguidas a bordo da Honda oficial, equipa que tem o campeão Marc Márquez e que é a campeã de construtores.

Mas vamos ao circuito de Valência. O último Grande Prémio viu Fabio Quartararo liderar o TL1, TL2 e TL3, para no TL4 Marc Márquez, apesar de uma queda, ser o mais rápido. Ou seja, chegados à qualificação, Fabio Quartararo era o grande favorito, mas ainda havia uma palavra a dizer de Márquez e também de Maverick Vinales, que nas últimas duas corridas tem estado muito bem.

Mas foi o francês que conseguiu a pole position com um tempo de 1:29.978s. Quartararo foi seguido por Márquez, que ficou a 0.032s do homem da Yamaha Petronas. Já na terceira posição, Jack Miller colocou a PRAMAC Ducati lá, com um tempo de 1:30.086s.

Será que Quartararo vence pela primeira vez no MotoGP?
Fonte: Petronas SRT

Maverick Vinales desta vez parte da segunda fila da grelha de partida com o quarto lugar na qualificação.

Para amanhã as apostas vão para Márquez, mas será que é desta que Quartararo finalmente vence? Já são seis pole position para o piloto da Yamaha, mas nenhuma vitória, neste que é o seu ano de estreia no MotoGP.

O homem que vai para “a reforma”, Jorge Lorenzo, parte apenas do 16.º lugar, num último Grande Prémio onde a sua posição não faz justiça ao grande piloto que é. Gostaria de o ver nos dez primeiros, mas é uma tarefa muito difícil para o piloto da Honda.

Nas Ducati de fábrica, Andrea Dovizioso sai de sexto, enquanto, na minha opinião, Danillo Petrucci não foi a escolha acertada para esta moto. O italiano sai de décimo para a última corrida do ano, nunca tendo-se destacado na moto vermelha.

Uma temporada muito aquém das expetativas para Danilo Petrucci.
Fonte: MotoGP

Miguel Oliveira não participa e foi substituído pelo seu colega na equipa Tech3 em 2020, Iker Lecuona, que sai do 19.º lugar.

Fonte: MotoGP

Foto de Capa: HRC – Honda Racing Corporation

Artigo revisto por Diogo Teixeira

Comentários