Em Le Mans, quem levou a melhor foi, uma vez mais, Marc Marquez (Repsol Honda). No entanto, a caravana do MotoGP segue para terreno italiano, onde a luta pelos lugares do topo promete ser feroz.

O GP’s de Itália e da Catalunha serão cruciais para a luta pelo título. Marquez está com oito pontos de vantagem em relação a Andrea Dovizioso (Mission Winnow Ducati) e, uma eventual vitória em Mugello, poderá ditar o rumo do campeonato. Isto porque, o traçado italiano é conhecido por estar muito bem adaptado às Ducati. Se Marc vencer aqui será difícil batê-lo e, por isso mesmo, espera-se que vários pilotos tentem cortar o seu ritmo.

Apesar da sua constipação, Marquez está confiante com a sua performance. “Vamos tentar estar o mais focado possível. Somos líderes do campeonato, temos alguns problemas, mas estamos com um bom ritmo”.

Danilo Petrucci (Mission Winnow Ducati) também está constipado, mas teremos de esperar pela corrida para perceber se irá ter ou não influência na sua prestação. Visto estar dependente da sua prestação durante esta época para permanecer na Ducati, o italiano estará sob alguma pressão. No entanto, depois de conseguir um terceiro lugar em Le Mans, a sua confiança estará no topo para esta corrida “em casa”. Na conferência de imprensa desta quinta-feira referiu que se tivesse de escolher um circuito para a sua primeira vitória seria, certamente, Mugello.

Andrea Dovizioso está na luta pelo título, pelo que este é um fim-de-semana importante para marcar o seu ritmo para o resto da temporada. “Costumo estar bem neste circuito mas a competição parece ser maior do que no ano passado”. O italiano quer vencer em Mugello mas sublinha que só na corrida poderá perceber as possibilidades reais pelas quais poderá lutar.

Valentino Rossi (Monster Energy Yamah MotoGP) alcançou o terceiro lugar na corrida do ano passado mas este ano prefere não fazer previsões. O italiano diz que “é sempre difícil saber o que vai acontecer.” Acrescenta ainda que apesar de a Yamaha ter melhorado, todas as outras equipas também o fizeram. “Irá depender de nós e dos outros. Mugello é a corrida mais especial para mim e para todos os italianos.”

Valentino Rossi em pista durante o primeiro dia de treinos
Fonte: MotoGP

Quem também marcou presença na conferência de imprensa foi Jack Miller (Pramac Ducati). Depois do bom resultado em Le Mans e da luta com Marquez, o australiano. “Os pontos foram importantes. Não tenho tido muita sorte em Mugello nos últimos anos mas consigo ter um bom ritmo neste circuito. 

Depois das sessões de treinos já decorridas, foi possível perceber que a constipação de Marquez está, de certo modo, a afetar a sua performance. Isto foi visível, pelo menos, na segunda sessão de treinos livres. No entanto, terminou no quinto lugar, o que não parece muito complicado de recuperar. Já Petrucci, não pareceu ter saído muito prejudicado, tendo permanecido no top 3.

Mais para baixo na tabela de tempos esteve Jack Miller mas sempre a menos de meio segundo dos melhores. 

Dovizioso e Rossi surpreenderam pela negativa ficando, quase sempre, fora do top 10. Francesco Bagnaia (Pramac Ducati) surpreendeu pela positiva ao conseguir o melhor tempo na segunda sessão de treinos livres. O rookie deverá conseguir garantir um ligar na Q2. Pol Espargaro (RedBull KTM Factory Racing) também esteve muito bem, terminando a segunda sessão de treinos em quarto lugar e deverá também estar presente na Q2.

Já o português, Miguel Oliveira (RedBull KTM Tech 3) teve um início complicado neste Grande prémio de Itália. Nas duas primeiras sessões de treinos manteve-se atrás do seu colega de equipa, Hafizh Syahrin. 

Foto de Capa: MotoGP

Comentários