Aproximava-se o primeiro dia de treinos e a chuva não parava de cair, com alguma intensidade, em Valência. Rapidamente se percebeu que seria um fim-de-semana bastante imprevisível, com aguaceiros previstos para os três dias. Mas Miguel Oliveira (RedBull KTM Ajo) não estava com medo. Sentia-se bem em cima da mota e estava ansioso pela última corrida do ano.

Chegado o primeiro dia de treinos livres, o piloto saiu para a pista com pneus de chuva. A adaptação ao asfalto molhado foi rápida e Miguel Oliveira terminou as duas sessões do dia em terceiro e sexto lugar, respetivamente. Um balanço positivo para o primeiro dia do português em Valência.

No sábado, com a pista um pouco mais seca, o piloto da KTM conseguiu repetir o terceiro lugar da primeira sessão de treinos do dia anterior. As expectativas estavam altas quanto ao desempenho do português na sessão de qualificação que iria decorrer no mesmo dia, da parte da tarde.

Miguel Oliveira começou bem, a ocupar os lugares de topo na tabela dos tempos. No entanto, depois da ida à box, não conseguiu recuperar e bater os tempos dos adversários. Luca Marini (SKY Racing Team VR46) conseguiu o melhor tempo e conquistou assim a pole position para a corrida de domingo. Os pilotos da Dynavolt Intact GP, Xavi Vierge e Marcel Shrotter, ocuparam o segundo e terceiro lugares da grelha de partida, respetivamente. Já Miguel Oliveira foi caindo tabela abaixo até bater no 10º melhor tempo. Apesar de se esperar uma qualificação um pouco mais acima, o português estava a pouco mais de meio segundo do tempo de Marini.

Chegado o dia da corrida, a categoria de Moto3 já tinha corrido à chuva. Antes disso, após Miguel Oliveira ter realizado o aquecimento, a chuva tinha acalmado, mas a pista continuava bastante molhada. Por isso mesmo, todos estavam a utilizar pneus de chuva.

Antes ainda de a corrida começar, o piloto que iria sair em nono, à frente de Oliveira, Fabio Quartararo (Speed UP), teve alguns problemas em conseguir arrancar na sua mota e teve de partir do final da grelha. É dada a partida e Miguel Oliveira tenta imediatamente escapulir-se para os lugares da frente, como já nos tem vindo a habituar. Logo na primeira volta, três dos pilotos que seguiam à sua frente caíram. Entre eles estavam o poleman Luca Marini, Joan Mir (EG 0,0 Marc VDS) e Lorenzo Baldassari (Pons HP40). Estas quedas permitiram que Miguel Oliveira subisse três lugares mais facilmente.

Poucas voltas depois do arranque, seguiam isolados 4 pilotos na frente da corrida: Miguel Oliveira, na liderança, e os espanhóis Xavi Vierge, Alex Marquez (EG 0,0 Marc VDS) e Iker Lecuona (Swiss Innovative Investors).

Alex Marquez, rapidamente se aproximou do português, roubando-lhe o primeiro lugar. O espanhol foi-se afastando e, entretanto, cai Xavi Vierge, que seguia atrás de Miguel Oliveira, deixando o português isolado na segunda posição.

Miguel Oliveira festeja a vitória depois de passar a bandeira de xadrez.
Fonte: Red Bull KTM Ajo

Oliveira parecia seguro em todos os movimentos que executava em cima da mota. Já o caso de Marquez era bem diferente. O piloto espanhol estava com dificuldades e isso notava-se, principalmente nas curvas. Enquanto seguia na liderança teve alguns deslizes e duas situações em que poderia ter caído. Ora, costuma dizer-se que à terceira é de vez e, no caso do espanhol, foi mesmo: sofreu uma queda na curva antes da reta da meta.

Oliveira não precisou de pedir licença e retomou a liderança para nunca mais a largar, fazendo uma corrida solitária até ao final. Sempre focado e concentrado, manteve-se a um ritmo controlado até à última volta.

O segundo classificado foi o espanhol Iker Lecuona, que cortou a meta 13 segundos depois do português. Já Alex Marquez, no meio do azar, ainda teve sorte e conseguiu cortar a meta em terceiro lugar.

Miguel Oliveira a celebrar com a equipa o título de campeões por equipas.
Fonte: Red Bull KTM Ajo

Um fim de semana de sonho no fecho da temporada para o piloto português, que segue já na próxima época para a classe rainha do campeonato. Os fãs que foram a Valência apoiar Miguel Oliveira viram cumprida a promessa do piloto. Quando chegou ao aeroporto de Lisboa, depois do Grande prémio da Malásia, o piloto da KTM disse aos fãs queria vencer em Valência. Miguel cumpriu a promessa e, mesmo com o seu colega de equipa Brad Binder a ficar fora dos pontos, deu à equipa a vitória no campeonato. Oliveira juntou assim o título de vice-campeão de Moto2 ao título de campeão por equipas na mesma categoria.

Revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: Red Bull KTM Ajo

Comentários