Anterior1 de 3

A CORRIDA: Se o Sr. Inteligência tinha regressado em Mugello, em Montmeló aniquilou por completo os adversários. Uma autêntica master class de Miguel Oliveira que chegou, viu e venceu o GP da Catalunha.

Tanta história neste grande prémio, tanta emoção. O grito, os sorrisos do Miguel. A conquista tão merecida depois de um início de temporada quase para esquecer. A verdade é que o português saiu da quarta posição da grelha de partida para se colocar diretamente no segundo lugar. Depois disso, quase tudo pareceu fácil, e foi.

Fabio Quartararo era o homem a bater, depois de ter conquistado a quinta pole position consecutiva – mas a verdade é que o francês não teve armas suficientes para bater o português Miguel Oliveira que se mostrou muito forte desde o início da prova.

Aliás, o piloto da Yamaha chegou a liderar a corrida depois de ter cometido um erro que o obrigou a recuperar várias posições. Mas a verdade é que, ainda assim, Oliveira conseguiu ultrapassar o francês, provando duas coisas: que a KTM tinha mais velocidade de ponta e estava mais forte na travagem.

E Oliveira conseguiu recuperar a liderança da prova valendo-se disso mesmo, e dando razão a Bagnaia que dizia que o português era o piloto mais forte neste aspeto.

Anúncio Publicitário

A verdade é que apesar de ter sido uma prova algo simples, à primeira vista, a verdade é que o português Miguel Oliveira voltou a não cometer erros e isso fez com que a vitória lhe sorrisse – finalmente. Diria mesmo: que categoria de vitória, Einstein.

Com a vitória de hoje, o falcão de Almada voa até ao sétimo lugar da classificação geral com 54 pontos.

Por outro lado, Quartararo estava à procura da quinta vitória consecutiva, mas acabou penalizado duas vezes: uma por ter improvisado e ganhado vantagem nas curvas 1 e 2 e outra por ter feito as últimas voltas com o seu fato aberto, acabando por ficar na sexta posição.

A Ducati acabou também por dar cartas, fechando o pódio com Zarco (Ducati Pramac Racing) e Miller (Ducati Lenovo Team). Já a Suzuki não foi além do quinto lugar com Joan Mir que continua a não conseguir conquistar a vitória.

A Honda continua à procura do sucesso, mas a verdade é que este GP da Catalunha foi um autêntico desastre com as quedas de Marc Márquez – que, depois da sua lesão, ainda procura adaptar-se à sua moto, e de Pol Espargaró que continua sem conseguir adaptar-se a esta equipa. Aléx Márquez foi o melhor piloto da Honda aos comandos da equipa satélite LCR Honda.

Foto de capa: Moto GP

Anterior1 de 3

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome