Anterior1 de 3Próximo

A CORRIDA: ALGUÉM QUE PEGUE NOS LIVROS, PORQUE FOI FEITA HISTÓRIA

Não podia ter começado da melhor maneira o GP da República Checa, pois quem pensava que estava tudo controlado por Johann Zarco (Esponsorama Racing) na partida, enganou-se. Franco Morbideli (Petronas Yamaha STR) foi aquele que saiu melhor e depressa arrancou para ter uma enorme vantagem logo desde início. No entanto, temos também de dar uma atenção à partida de Brad Binder (KTM Factory Racing) e dos irmãos Espargaró (Pol e Aleix).

As primeiras voltas mostraram um domínio da Petronas Yamaha STR e da KTM, que ocupavam as quatro primeiras posições. Binder mesmo longe do primeiro lugar já mostrava que queria muito um pódio e nem com Morbideli longe deixava de sonhar com o 1.º lugar. O italiano não esperava de todo aquilo que mais para a frente iria acontecer na corrida.

Já tínhamos destacado o início dos irmãos Espargaró e com 12 voltas para o final foi o fim de corrida para Pol. O 44 da KTM Factory Racing abriu demasiado na curva um e Zarco aproveitou para conseguir a ultrapassagem, mas o espanhol quando voltava à melhor linha acabou por tocar no francês e cair. Um incidente que levou à penalização de Zarco com uma “long lap (e que long lap!) nunca antes vista à frente de Quartararo! Se o francês começou da pior forma, não nos podíamos queixar com aquilo que estávamos a ver…

Se a corrida à frente estava emocionante na parte de trás havia surpresas, mas algumas bem desagradáveis. Maverick Viñales (Yamaha Factory Racing) vinha a rodar de uma forma péssima e era ultrapassado por tudo e por todos. O espanhol acabou mesmo fora dos pontos e dos dez primeiros. Já Quartararo, que vinha numa excelente forma desde o início da corrida, acabou da pior maneira ultrapassado por Binder, Zarco, Alex Rins (Team Suzuki), Valentino Rossi (Yamaha Factory Racing) e Miguel Oliveira (Redbull KTM Tech3).

Anúncio Publicitário

O primeiro e segundo lugares estavam mais do que assegurados e história foi feita! Brad Binder venceu pela primeira vez no MotoGP, foi o primeiro a fazê-lo como rookie depois de Marc Márquez em 2013, e foi o primeiro sul-africano a vencer na categoria rainha! Depois de três temporadas no MotoGP, Franco Morbidelli chegou pela primeira vez ao pódio! Mas não nos esqueçamos do terceiro classificado. A luta ainda esteve intensa até ao final com Rins a ameaçar o lugar de Zarco, mas foi o francês a ficar com o último lugar no pódio.

Mas se já havia história nos primeiros lugares, o que dizer de Miguel Oliveira! Partiu de 13.º lugar e acaba em 6.º, na melhor posição da carreira do português no MotoGP. Uma corrida incrível e onde esteve muito perto de alcançar o 5.º lugar, ameaçando a posição de Valentino Rossi. O que esperar para a próxima temporada na KTM Factory? Só maravilhas. Vai, Miguel!

Podia muito bem estar novamente nas desilusões do dia, mas é mais um péssimo dia para a Ducati com Andrea Dovizioso e Danilo Petrucci a terminarem em 11.º e 12.º, respetivamente. Porém, esta é uma corrida que deve estar a deixar os responsáveis pelos livros de história, e os amantes de estatísticas, de cabelos em pé com tanta para fazer depois do Grande Prémio de hoje.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários