O ano de 2018 está a acabar e, com isso, o mundial de Moto2 também. A categoria conta com o português Miguel Oliveira nos quadros. Aos comandos de uma moto de 600cc da KTM, o piloto, natural de Almada, conseguiu alcançar o vice-campeonato em 2018, apenas sendo batido por Francesco Bagnaina. 

Com apenas uma ronda em falta no calendário, Miguel Oliveira mostrou ser um piloto a ter em conta. Ora vamos às estatísticas: 2018 trouxe a “Portuguesa” ao pódio por duas vezes, com duas vitórias conseguidas no Grande Prémio da Itália e no Grande Prémio da República Checa. Contou também com nove pódios, sendo estes distribuídos por cinco subidas ao segundo lugar e quatro ao terceiro. O ano da 2018 também trouxe imensas dificuldades, principalmente a nível de qualificação para a grelha de partida. Oliveira não conseguiu nenhuma pole position e teve muitas dificuldades em arrancar da linha da frente para as corridas de domingo. 

Desde 2012 na caravana do mundial de MotoGP, Miguel Oliveira fecha o ano de 2018 com um merecido vice-campeonato. Com o Grande Prémio de Valência a ser o último do piloto na categoria de Moto2, a pressão do campeonato já não existe. Assim, esperamos que Miguel Oliveira consiga mais uma vitória antes de ingressar no maior desafio da sua vida: a temporada de 2019 na categoria rainha do motociclismo.

A imagem de Miguel Oliveira no pódio de uma corrida de MotoGP já está a ser criada na mente dos portugueses que seguem o campeonato
Fonte: Red Bull KTM Ajo

A KTM serve outra vez de berço para o piloto português, que, sempre que se encontra aos comandos da moto austríaca, tem bons resultados. Miguel Oliveira terá Hafizh Syahrin como companheiro de equipa na Tech3 KTM. O malaio obteve, neste fim de semana, um excelente resultado na sua ronda caseira. Já na casa oficial Pol Espargaró continua e a contratação sonante para 2019 é o francês Johann Zarco, que vem da Tech3, marca que atualmente utiliza motos da marca japonesa Yamaha.

Anúncio Publicitário

Resta-nos saber qual o número que Oliveira levará nas carnagens – já que o #44 pertence a Pol Espargaró – e como será a decoração da sua mota, sendo que um dos patrocinadores (a Red Bull) fará as mesmas cores que a equipa de Fórmula 1, a Scuderia Toro Rosso.

Texto revisto por: Mariana Coelho

Foto de Capa: Red Bull KTM Ajo