Desde 2007, nos tempos de Casey Stoner na Ducati, que a Ducati não conseguia a vitória no Grande Prémio de San Marino.

Na qualificação, Jorge Lorenzo ficou com a pole position. O espanhol, que para o ano será piloto oficial da Honda, bateu Marc Marquéz, que até ai tinha o melhor tempo. O campeão mundial acabou por cair, não conseguindo melhor que quinto na grelha de partida. A surpresa na qualificação foi a Ducati de Jack Miller. O australiano ficou com o segundo tempo mais rápido. Na terceira posição ficou Maverick Vinales na Yamaha. Valentino Rossi partiu de sétimo. “Il Doctore” voltou ao circuito Marco Simoncelli após ter falhado em 2017 com uma lesão na perna, resultante de um acidente numa moto de enduro.

No princípio da corrida foi o poleman, Lorenzo, a agarrar a liderança, seguido de Jack Miller e de Marc Marquéz, que com um arranque espetacular chegou logo a terceiro. Andrea Dovizioso vinha a todo o gás atrás dos três primeiros. Miller acabou por cair na curva quatro, enquanto Dovizioso já tinha ultrapassado o espanhol e o australiano, agora correndo atrás do seu colega de equipa, que tinha uma pequena vantagem.

Após alcançar Lorenzo, Dovizioso continuou a aumentar a sua vantagem, chegando até dois segundos por volta. Atrás, a batalha da corrida começava. Marquéz e Lorenzo trocaram muita tinta pela segunda posição do pódio, até que Lorenzo acabou na gravilha, ficando assim Marquéz com a segunda posição. De notar que se não fosse este erro de Lorenzo, as Ducati certamente teriam conseguido uma dobradinha.

Marc Marquéz travou uma batalha intensa com Jorge Lorenzo
Fonte: Moto GP

Cal Crutchlow, LCR Honda, ficou com a posição mais baixa do pódio. O britânico não teve dificuldade em ultrapassar a Yamaha de Vinales e a surpreendente Suzuki de Alex Rins, que saiu de décimo da grelha e levou a moto da marca japonesa até ao quarto lugar. Uma condução fabulosa por parte de Rins.

A Suzuki parece muito bem debaixo do espanhol. Valentino Rossi terminou onde começou, na sétima posição. Uma corrida muito apagada por parte do nove vezes campeão mundial. Dani Pedrosa, apesar de ter a Honda inferior aos seus colegas oficiais, conseguiu terminar em sexta e Vinales terminou em quinto.

Alex Rins conseguiu um excelente quarto lugar com a Suzuki GSX-RR
Fonte: Team Suzuki Ecstar

Na categoria de Moto 2, Miguel Oliveira, Red Bull KTM Ajo, levou as cores nacionais mais uma vez ao pódio, com um segundo lugar. Mais uma vez, o português não teve uma qualificação boa, apenas saindo de nono da grelha. Mas dentro das primeiras três voltas, Oliveira já se encontrava na terceira posição. Quem liderou sem contestação foi o poleman Francesco Bagnaia. Alex Marquéz acabou na gravilha após um contacto com Augusto Fernandez na primeira volta, acabando a corrida em 18.º.

Miguel Oliveira fez uma grande corrida no Misano World Circuit SIC. O português partiu de nono e acabou no pódio
Fonte: Red Bull KTM Ajo

Após a ronda de Silverstone ter sido cancelada, o Sol brilhou em San Marino. A corrida, apesar de não ser das mais espetaculares, foi um bom regresso à competição. A caravana do MotoGP agora segue para Aragón, a 23 de setembro.

Foto de Capa: Moto GP

Comentários