Depois do grande prémio do Japão ter coroado Marc Márquez como pentacampeão, o mundial de Motociclismo viajou até ao circuito de Philip Island, na Austrália para a penúltima prova da gira asiática. Mas, desta vez, os reis da festa não foram os mesmos dos últimos grandes prémios. 

Marc Márquez (Honda), Andrea Dovizioso (Ducati), Valentino Rossi (Yamaha) e Maverick Viñales (Yamaha) mostraram-se bastante competitivos ao longo do fim-de-semana e estavam aptos a lutar pela vitória. 

A prova começou com um grande arranque de Jack Miller, perseguido por Marc Márquez que conseguiu recuperar várias posições e passar para a liderança da prova. Durante as primeiras voltas, a distância entre os primeiros classificados era mínima, apenas um segundo e meio separava Márquez e Viñales que ocupava a oitava posição. 

O piloto espanhol da Honda parecia querer distanciar-se e tentar vencer no circuito de Philip Island como pentacampeão da classe rainha, mas sofreu um toque de Johann Zarco no final da reta da meta. Márquez conseguiu evitar a queda, mas a sua Honda ficou bastante danificada e o Márquez teve de abandonar a prova à sétima volta. 

Anúncio Publicitário

Se até este grande prémio a luta pela vitória era entre Márquez e Dovizioso, a prova australiana começava a ter novos protagonistas. Maverick Viñales começava a dar cartas na liderança da corrida, enquanto Rossi, Iannone, Dovizioso e Álvaro Bautista lutavam por um lugar no pódio.

Dovi e Bautista lutaram pelo pódio em Philip Island
Fonte: MotoGP

A duas voltas do final, a diferença entre o piloto espanhol da Yamanha e o italiano Iannone era de cinco décimas e tudo parecia feito à medida para que Viñales terminasse com a seca de vitórias da Yamanha, que alcançava uma vitória desde o grande prémio da Holanda em 2016.

O piloto espanhol não tremeu, apesar do desgaste dos pneus e alcançou o lugar mais alto do pódio, seguido de Andrea Ianonne e Andrea Dovizioso.

Na categoria de Moto2, Francesco Bagnaia e Miguel Oliveira saíram de Phillip Island ainda a lutar pelo título mundial.

Oliveira ainda sonha com o título de campeão mundial
Fonte: RedBull KTM Ajo

Após uma corrida onde ambos os pilotos partiram mais atrás na grelha de partida, o líder do campeonato terminou a prova no 12º lugar e ainda conseguiu arrecadar quatro pontos. 

Já o português Miguel Oliveira concluiu a prova em 11º e conseguiu reduzir a diferença para Bagnaia nas contas do título. Graças a isso, o português chegará a Sepang, na Malásia, com uma desvantagem de 36 pontos para o italiano, que terá de ser reduzida se Oliveira quiser lutar pelo título de campeão no grande prémio Valência.

Foto de Capa: MotoGP

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro