11 vitórias, três derrotas, 24 anos. Pedro Carvalho é lutador de MMA (artes marciais mistas) e compete numa das maiores promoções do mundo – Bellator. O português está a cimentar cada vez mais o seu nome na divisão de peso-pena, como um dos candidatos ao título detido por Patricio Pitbull. Mas quem é Pedro Carvalho?

Pedro começou a sua jornada no MMA aos 13 anos de idade, e fez o seu primeiro combate profissional aos 17 anos. Apaixonou-se pelo desporto quando viu pela primeira vez um evento de UFC na televisão, e foi aí que percebeu que queria ingressar no desporto.

INTRODUÇÃO AO DESPORTO

Ao contrário da grande maioria dos atletas de desportos de combate, Pedro não optou por uma arte marcial específica. Começou então a treinar MMA na RSTeam em Guimarães, cidade natal, com o treinador Rafael Silva. Como o desporto na altura não estava muito desenvolvido em Portugal, fez alguns combates noutras modalidades. Combateu em kickboxe e K1, com objetivo de se manter ativo, ganhar experiência de combate, e ao mesmo tempo participar em algumas competições.

Anúncio Publicitário

Começou o seu percurso profissional em 15 de setembro de 2012, ao combater na World Ultimate Full Contact, evento de MMA em Viseu. Venceu na altura Edi Vicente por submissão via mata-leão na primeira ronda.

A partir daí combateu em várias Ligas em Portugal, como a Showfight, Cage Fighters, Invictus Pro MMA, entre outras. Entre 2012 e 2015 fez oito combates, ficando com um recorde profissional de cinco vitórias e três derrotas.

“DAR O SALTO”

Aos 20 anos, Pedro percebeu que em Portugal as artes marciais mistas não tinham visibilidade suficiente para se construir uma carreira no desporto. Então decidiu ir treinar para a Irlanda, para aquela que, para ele, era a melhor academia da Europa: Straight Blast Gym. Mais conhecido por “SBG”, o ginásio é a casa do atleta de MMA mais famoso: Conor McGregor. Mas para Pedro, McGregor não era a maior referência da academia, mas sim o seu treinador – John Kavanagh.

De forma a ter capacidades financeiras para se mudar para a Irlanda, Pedro esteve um ano a trabalhar numa fábrica. Algo difícil para o atleta, mas um esforço necessário para alcançar o seu grande objetivo.

Um ano depois, Pedro estava na Irlanda a treinar na academia de sonho com os melhores atletas do mundo.