cabeçalho desportos de combate

Pettis e Dos Anjos encabeçam um cartaz principal recheado de lutadores de renome e que promete corresponder às expectativas: para além do combate principal pelo título de peso Leve, o evento vai opor Cariaso e Cejudo, os pesos pesados Roy Nelson e Alistair Overeem, o ex-campeão de peso Meio-Médio Johny Hendricks e Matt Brown e, como evento principal secundário, um combate pelo título da categoria feminina de Strawweight, entre a campeã Carla Esparza e a invicta Joanna Jedrzejckzyk. O que podemos esperar deste pay-per-view?

No primeiro combate do cartaz principal teremos uma luta interessante na categoria de Flyweight, entre Chris Cariaso e Henry Cejudo. Cariaso vem de uma derrota contra o campeão Demetrious Johnson e procura, certamente, voltar à cena do título. Cejudo vem também de tempos difíceis, mas por razões bastante distintas: Cejudo tem tido dificuldade em atingir o peso necessário para competir na dita divisão, pelo que a única vez que lutou pela UFC (venceu Dustin Kimura) foi na categoria de Bantamweight. Se falhar peso outra vez certamente será a sua última tentativa de lutar nesta categoria e será obrigado a lutar na categoria acima. Assumindo que tudo corre conforme o que é suposto, a luta deverá mesmo cair para o lado de Cejudo, que alberga um recorde invicto de 7-0, até ao momento. Cariaso, apesar de ter maior experiência na UFC e MMA em geral, não aparenta ser capaz de contrariar o wrestling do campeão olímpico de 2008.

Roy Nelson e Alistair Overeem opõem-se na segunda luta da noite num combate que é difícil de antever. Estes pesos pesados têm apenas duas vitórias nos seus últimos cinco combates. Overeem (#9 do ranking), no entanto, vem de uma vitória (contra Stefan Struve), ao passo que Nelson (#8 do ranking) vem de uma derrota (contra Mark Hunt). Ambos são portentos, ambos batem forte, ambos podem acabar este combate por K.O.. Este será, certamente, o desfecho deste combate. Resta saber quem terá a sua mão levantada no final.

ufc1
Johny Hendricks (na foto) e Matt Brown lutam ambos pela desforra contra o campeão de peso Meio-Médio Robbie Lawler

A terceira luta poderia facilmente encabeçar um Fight Night ou servir de evento principal secundário a este UFC 185, não fossem Esparza e Jedrzejckzyk ocupar esse espaço. Johny Hendricks e Matt Brown defrontam-se num combate que certamente irá decidir quem será o próximo candidato ao título de Robbie Lawler, sendo que ambos vêm de uma derrota contra este. Hendricks, recorde-se, perdeu o título contra o agora campeão no seu último combate. O poder e o striking de cada um prometem tornar este combate num verdadeiro “slugfest” até que o primeiro caia. Podemos assumir, também, que, caso isto não suceda, Hendricks assumirá o combate através do seu wrestling, aproveitando aquela que, para além de virtude, é também uma falha de Brown: a sua agressividade. Brown pouco mais sabe do que pressionar o adversário e abusar do striking, pelo que será fácil para Hendricks controlar a luta se assim o entender. Caso o primeiro cenário aconteça será difícil prever um vencedor, mas se se der o segundo podemos atribuir este combate a Hendricks.

Esparza e Jedrzejckzyk prometem aquecer o público, se este já não estiver quente o suficiente, antes do combate principal. O reinado de Esparza é bastante jovem, assim como a própria categoria da qual é campeã e a sua estadia na UFC. Esparza tem apenas uma luta na UFC, e, portanto, uma vitória, a qual se deu aquando da final do The Ultimate Fighter 20 e da inauguração do título de Strawweight, contra a outra finalista do TUF, Rose Namajunas. Joanna Jedrzejckzyk, por seu lado, é uma ex-campeã europeia e mundial de Muay Thai, e a #1 do ranking de Strawweight, albergando um recorde de vitórias de 8-0. Jedrzejckzyk vem de duas vitórias na UFC, a última contra Cláudia Guedelha, a mulher que todos tinham como a principal ameaça a Esparza. Apesar de o ter feito com controvérsia (muitos deram a vitória à brasileira), Joanna chegou ao topo da montanha de concorrentes e promete dar luta à campeã, chegando mesmo a afirmar que a partir de dia 14 poderão chamar-lhe “Joanna Champion” ao invés do seu complicado apelido. Será um combate renhido, onde a polaca irá tentar fazer valer o seu Muay Thai e Esparza o seu wrestling. Apesar de ser difícil de antever, podemos considerar a campeã vencedora, simplesmente pelo facto de albergar o título.

ufc2
É difícil imaginar um cenário para Anthony Pettis (na foto) que não este, no final do UFC 185

O evento principal da noite, entre o campeão Anthony Pettis e Rafael dos Anjos, causa alguma intriga. A chegada de dos Anjos a este combate tem sido bastante discreta. De facto, muitos têm dito que é difícil visualizar dos Anjos enquanto campeão. Quando pensamos na divisão de peso Leve pensamos em Pettis, Khabib Nurmagomedov (era suposto que fosse o adversário de Pettis, caso não se tivesse lesionado), Donald Cerrone… E pouco em dos Anjos, mesmo apesar de este ser o #1 do ranking. Pettis parece que foi feito para ser campeão: tem carisma, aspecto e é, definitivamente, um dos lutadores com melhor qualidade técnica dentro do octógono (é o autor do conhecido “Showtime Kick”). Talvez seja por isso que poucos olhem para Rafael dos Anjos e atribuam, desde já, a vitória a Pettis. E isso é perigoso, especialmente para o campeão. De facto, é bastante provável que o americano passeie por dos Anjos, mas o completo descartar de hipóteses do brasileiro pode fazer com que lhe seja mais fácil entrar no combate, fazer o seu jogo e, em última instância, surpreender Pettis, que, caso perca, criará alguns problemas à UFC, que vem trabalhando neste “seu” campeão já há algum tempo.

O reinado de Pettis tem sido marcado por constantes lesões e, por isso, raras presenças no octógono, pelo que é a altura perfeita para este se confirmar como um dos actuais grandes. Iremos assistir a uma luta entre o favorito e o derradeiro “underdog”. Pettis irá, certamente, vencer. No entanto, muitas surpresas acontecem dentro do octógono… Esperemos para ver. O cartaz principal UFC 185 será transmitido na madrugada de Domingo, dia 15 de Março (2h00).

Fotos são uma cortesia da UFC

Comentários