Jack Hermansson venceu Jacaré Souza no combate principal do UFC Fight Night Florida. Greg Hardy nocauteou Smoliakov no primeiro round, e Mike Perry e Alex Oliveira protagonizaram uma autêntica batalha. Glover Teixeira e Jim Miller venceram os prémios de Performance da Noite, nas suas finalizações por submissão.

O combate principal da noite trouxe a luta entre Ronaldo “Jacaré” Souza e Jack Hermansson, na divisão de peso-médio.

Estava prometido por Dana White que caso Jacaré vencesse, tinha assegurado uma chance de lutar pelo título. O brasileiro vinha de uma vitória sobre Chris Weidman no UFC 230, e aos 39 anos, já em fim de carreira, era a altura perfeita para conseguir uma luta de título.

Jack Hermansson lutava pela segunda vez no espaço de um mês. O sueco vinha de três vitórias seguidas, frente a Thales Leites, Gerald Meerschaert e David Branch. Conseguiu entrar no top-10 da divisão, e procurava subir nos rankings ao enfrentar o nº4.

Jack Hermansson venceu Jacaré Souza
Fonte: UFC
Anúncio Publicitário

Hermansson entrou melhor no combate, com um strike superior e mais eficaz. A certa altura até deu a entender que tinha derrubado Jacaré depois de uma sequência de quatro golpes, mas foi ao mesmo tempo que o brasileiro tentou uma projeção. Hermansson conseguiu até uma projeção, surpreendentemente, visto que Jacaré é um mestre no jiu-jitsu. No chão procurou uma guilhotina, mas sem sucesso.

O segundo round foi mais virado para o combate de chão. No contra-ataque Hermansson conseguiu uma incrível projeção e esteve sempre em cima do adversário. Jacaré não conseguiu raspar nem mudar a guarda, foi pouco ativo na luta de costas. Hermansson esteve sempre agressivo e procurou distribuir vários golpes. No final da ronda, os golpes no chão estavam 104-5 a favor de Hermansson.

O terceiro round foi enorme para Jacaré. Jack parecia um pouco cansado, e o brasileiro soube tirar proveito disso. Acertou bastantes golpes e muito fortes, alguns até abanaram Hermansson, que não soube lidar com a pressão do strike do adversário.

Na quarta ronda vimos um Hermansson melhor no strike. Mais virado para pontuar, acertar e não ser atingido, e utilizar bem a distância. No corpo a corpo junto à jaula, conseguiu gerir bem o esforço. Venceu este round, e com um 3-1 em rondas tinha de gerir bem o último para assegurar a vitória.

O sueco entrou agressivo porque pensava que Jacaré estava magoado, mas não. Conseguiu uma projeção, mas o brasileiro reverteu a posição e também o conseguiu projetar. Jack manteve a vontade de gerir o esforço e procurar pontuar com o strike. No fim do round Jacaré percebeu que estava em desvantagem e seria impossível vencer por pontos, então começou a ser mais agressivo e procurar a finalização. As suas esperanças caíram por terra quando, a faltar menos de um minuto, Hermansson consegue uma projeção.

No final a vitória foi atribuída a Jack Hermansson por decisão unânime. Dois juízes pontuaram 48-47 (3-2 em rondas) e um pontuou 49-46 (4-1 em rondas).

Esta derrota pode significar a retirada de Jacaré Souza. Antes deste combate referia que caso não tivesse uma luta pelo título, se reformava.

No co-main event Greg Hardy enfrentou Dmitri Smoliakov, na divisão de peso-pesado. Hardy foi desqualificado no seu último combate contra Allen Crowder por ter lançado um joelho ilegal. Smoliakov perdeu os seus dois primeiros combates no UFC, tendo depois vencido Evgeniy Bova na Asian Challenge.

Smoliakov entrou com intenção de analisar o adversário antes de entrar em grandes trocas de golpes. Hardy entrou com precaução, mas com o KO em mente. O americano conseguiu encostar Smoliakov perto da jaula e acertou um grande gancho de direita, e finalizou de seguida o adversário com ground and pound.

Alex Oliveira e Mike Perry protagonizaram a luta da noite na divisão de peso meio-médio. Oliveira vinha para este combate na sequência da derrota contra Gunnar Nelson no UFC 231, enquanto Perry também vinha de uma derrota contra Donald Cerrone no UFC Fight Night 139.

Perry foi quem procurou mais a vitória
Fonte: UFC

Oliveira entrou mais solto e a acertar vários e bons golpes. Apesar de ter de combater a recuar, teve mais iniciativa no striking. Perry ganhou pontos no clinch, e quando lançava golpes eram para finalizar.

No segundo round Oliveira manteve-se bem no strike mas Perry conseguiu levar o combate para o chão e esteve muito bem no ground and pound. Sempre à procura da finalização e de distribuir golpes para finalizar o adversário.

Na terceira ronda tudo estava em aberto, mas foi Perry que procurou mais a vitória. Esteve mais agressivo e procurou finalizar. Oliveira também teve o azar de uma possível lesão num dedo do pé direito. No final os juízes deram a vitória a Mike Perry por 29-28 (dois rounds para Perry, um para Oliveira).

Glover Teixeira e Ion Cutelaba defrontaram-se na divisão de peso meio-pesado. Glover já com 39 anos vinha de uma vitória frente a Karl Robertson por submissão via triângulo de braço. Ion Cutelaba vinha de duas vitórias seguidas frente a Henrique da Silva e Gadzhimurad Antigulov, e procurava entrar no top-15 da divisão com uma vitória.

Cutelaba entrou bem agressivo contra um Teixeira um pouco passivo, ainda a analisar o estilo do adversário. Cutelaba acertou um punho rotativo e abanou Glover. Ainda procurou a finalização mas sem sucesso. A partir daí Ion começou a gerir melhor o esforço, a procurar acalmar o combate. Glover recuperou rapidamente daquela pior fase, e esteve muito agressivo no fim do round.

Foi dessa forma que entrou para o segundo round, e conseguiu inclusive levar o combate para o chão, onde sabia que tinha uma grande vantagem. A partir daí pareceu fácil: fez boas transições no chão e mudou várias vezes a guarda. Cutelaba deu as costas a Teixeira que aplicou um mata-leão, finalizando dessa forma o combate.

A divisão de peso-galo trouxe o combate entre John Lineker e o invicto no UFC, Cory Sandhagen. Lineker estava numa sequência de duas vitórias seguidas, frente a Marlon Vera e Brian Kelleher. Sandhagen vinha de três vitórias, nos primeiros três combates pela promoção.

No início da luta era bem visível a diferença de altura entre os dois lutadores: Sandhagen tinha uma vantagem de 11 centímetros na envergadura. Devido a isso Lineker encontrou dificuldades em encurtar a distância. Sandhagen quando lançava golpes aproximava-se do adversário e Lineker conseguia acertar duros golpes, apesar de ter falhado alguns.
O segundo round foi mais equilibrado, ambos a acertar vários golpes e muitos significativos. Era visível algum cansaço em Lineker.

O terceiro round trouxe um Sandhagen que conseguiu gerir melhor a distância face a Lineker, e acertou mais golpes. Lineker nesta fase continuava a lançar golpes para finalizar, mas a falhar um grande número deles. Perto do fim da ronda ainda conseguiu uma projeção e quase finalizou Sandhagem com uma guilhotina.

Após um combate muito técnico e equilibrado, Cory Sandhagen venceu por decisão dividida (29-28; 28-29; 29-28).

Roosevelt Roberts e Thomas Gifford enfrentaram-se na divisão de peso-leve. Gifford estreava-se no UFC, enquanto Roberts estava invicto (6-0) e vinha de uma vitória frente a Darrell Horcher no UFC Ultimate Fighter Finale 28.

Gifford entrou a conseguir controlar o octógono e a forçar o adversário a recuar. Roberts consegue a projeção e controlou a ronda toda no chão. Apesar disto Gifford não esteve inativo: tentou sempre mudar a guarda e até procurou uma submissão.

Na segunda ronda ocorreu algo semelhante. Gifford manteve a pressão no strike mas Roberts acertou golpes melhores. Conseguiu novamente a projeção e manteve o mesmo controlo, mas desta vez mais agressivo procurando lançar mais golpes.

O terceiro round foi mais equilibrado. Gifford controlou o octógono no strike e até conseguiu a sua única projeção no combate. Roberts conseguiu levantar-se e também projetou o adversário e tentou novamente o ground and pound. No final o justo vencedor foi Roosevelt Roberts, com um resultado de 30-27.

O próximo evento será o UFC Fight Night Ottawa, no dia 5 de maio. O cartaz será protagonizado por Al Iaquinta e Donald Cerrone.

Foto de Capa: UFC

Comentários