Cabeçalho modalidadesO ano de 2017 chegou recheado de surpresas para o esqui alpino. Apesar dos fortes ventos que se sentiam, a primeira prova deste novo ano realizou-se esta semana em Zagreb e veio mudar o rumo dos acontecimentos, na disciplina de Slalom.

Partiam como grandes favoritos à vitória desta prova o vencedor das duas provas de slalom que disputou- Henrik Kristoffersen – e o atual primeiro lugar da disciplina de esqui curto – Marcel Hirscher -, sabendo-se que Alexis Pinturault teria sempre uma palavra a dizer no desfecho da prova. Mas, na primeira manga, foi Julien Lizeroux quem começou por se destacar, realizando a descida com um tempo de 58.18 segundos, que lhe permitiria começar a segunda manga com o estatuto de “líder”. Marcel Hirscher, com um primeiro tempo bastante consistente, ficava, no fim daquela manga, em segundo lugar, logo à frente do italiano Manfred Moelgg. Henrik Kristoffersen fechava o top 5 e Felix Neureuther surgia imediatamente atrás.

felix-neureuther
Fonte: Felix Neureuther

Nada parecia surpreender muito, mas a abrir a segunda manga, Alexis Pinturault, devido a um erro gravíssimo de trajetória logo no início da descida, não conseguiu terminar a manga, ficando fora da corrida. Também Hirscher desiludiu (e muito!), desta feita com um erro na parte mais inclinada da vertente, terminando num desapontante sexto lugar. Estavam assim criadas condições para uma vitória fácil do norueguês Kristoffersen mas, o “génio” de Moelgg apareceu, realizando uma segunda manga tecnicamente irrepreensível, que o levou ao primeiro lugar. Também Neureuther surgiu em grande nível e conseguiu garantir o segundo lugar, fazendo-nos lembrar a sua grande forma na temporada passada. Já o norueguês não foi além do terceiro lugar e não conseguiu aproveitar o deslize de Hirscher para o ultrapassar.

henrik-kristoffersen
Fonte: Henrik Kristoffersen

Desta forma, o atual líder desta disciplina de esqui vê-se cada vez mais pressionado e está obrigado a atingir um terceiro lugar já este domingo, na prova de slalom a realizar em território suíço. Será Henrik Kristoffersen capaz de alcançar Marcel Hirscher?

Foto de capa: Manfred Moelgg

Anúncio Publicitário

Artigo revisto por: Francisca Carvalho