Domínio polaco completo nas duas provas do Grande Prémio de Verão de 2020, com os homens do leste europeu a ocupar todas as posições do podium em ambos os eventos, que decorreram em casa, em Wisla.

Dawid Kubacki, vencedor da Geral em 2017 e 2019, ou seja, o campeão em título, triunfou de maneira semelhante nos dois dias, sendo o melhor no primeiro salto e abordando a segunda ronda já com uma margem confortável em que um salto entre os melhores serviu para defender a sua posição.

Contudo, Kubacki não poderá juntar o título da Geral aos dois que já tem, uma vez que a FIS decidiu não o atribuir esta época por apenas se realizarem duas etapas.

Os restantes lugares do podium também foram repetidos, com Kamil Stoch e Piotr Zyla a serem duplamente, respetivamente, segundo e terceiro.

Anúncio Publicitário

A juventude esteve presente a bom nível. Outro polaco, Tomasz Pilch, 19 anos, foi o que mais se destacou, com um quarto posto na primeira prova e um sétimo na segunda. Timi Zajc, 20 anos, brilhou no segundo dia com um quarto lugar depois de na primeira competição nem se ter apurado para a ronda final. David Haagen, 18 anos, e Sander Vossan Eriksen, 19 anos, também conseguiram um top 10 cada um.

Nota positiva também para o suíço Simon Ammann. O sorridente veterano ex-campeão olímpico e mundial não esteve em grande nível na segunda competição, mas já tinha feito o suficiente com um quinto na jornada anterior com dois bons saltos, um raro resultado tão alto para uma lenda do desporto, mas que já há alguns anos passou do seu pico de carreira.

Do lado das desilusões, é Peter Prevc que marca a competição. O esloveno foi incapaz de entrar nos primeiros lugares em ambas as competições e três dos seus quatro saltos foram bastante humildes, apenas o último esteve ao nível dos melhores.

No regresso das estrelas dos saltos de ski após a pandemia, a Polónia aproveitou para mostrar como se vai colocando ao nível das grandes nações e Kubacki reforçando o seu estatuto entre os melhores da modalidade. No entanto, com nomes como Kraft, Geiger, Kobayashi, Leyhe ou Forfang a não estarem presentes, não será produtivo tirar demasiadas conclusões desta prova para a Taça do Mundo da nova época.

Foto de Capa: FIS-SKI

Artigo revisto por Joana Mendes