Anterior1 de 2

O passar do ano fez-se com saltos por terras germânicas e tudo começou com uma polémica. Depois do teste positivo de um dos seus atletas, toda a equipa polaca foi proibida de participar pelas autoridades alemãs e não compareceu à qualificação. Contudo, a FIS forçou a barra e a seleção da Polónia acabou por saltar nos eventos principais.

No dia 29 Oberstdorf recebeu a primeira das quatro provas. Na colina de Schattenberg, dominou um homem da casa, o campeão do mundo de Ski Flying, Karl Geiger. Ao primeiro salto, Philipp Aschenwald foi mais longe (130 metros) e vários outros também saltaram mais que os 127 metros de Geiger, mas com melhor vento e, somados os pontos, o alemão já liderava. Os segundos saltos tiveram como figura principal um incrível Markus Eisenbichler, que com 142 metros subiu do 27.º posto até ao quinto lugar. Com a terceira melhor pontuação, Geiger defendeu-se e conquistou a vitória, apesar de por curta margem sobre Kamil Stoch. Entre os homens importantes para a Geral, destacou-se ainda Granerud, quarto, enquanto Kubacki (15.º) e Zyla (21.º) desiludiram.

2021 começou em Garmisch-Partenkirchen e, no primeiro dia do ano, Dawid Kubacki voou para a vitória, reentrando nas contas da competição. A primeira ronda mostrou logo quem estava para ganhar, com Granerud e Kubacki a serem, respetivamente, primeiro e segundo separados por somente um ponto, e já só com Stoch e Eisenbichler a menos de dez pontos de desvantagem e saltos mais modestos destes na segunda ronda ditaram que tudo se decidisse nos dois saltos finais. Então, o polaco fez magia e com uns soberbos 144 metros não só se transportou para o topo da tabela, como estabeleceu um nove recorde no trampolim de Grosse Olympiaschanze. Granerud, por seu turno, cumpriu e assegurou o segundo posto, ainda com larga margem sobre os polacos Zyla e Stoch e o vencedor da primeira prova, Geiger.

Anúncio Publicitário

Findos os saltos do lado norte da fronteira, liderava a prova a regularidade do norueguês Halvor Egner Granerud, mas apenas quatro pontos adiantado face a Karl Geiger. Não muito atrás, ambos ainda a menos de dez pontos do líder, era a dupla polaca de Stoch e Kubacki que também ainda mantinha as opções em aberto para a Geral.

Anterior1 de 2

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome