Anterior1 de 3Próximo

Pelo terceiro ano a disputar o jogo de todas as decisões da Euro Winners Cup, o Braga teve uma partida bem mais complicada em relação ao que se podia antecipar, mas após um primeiro período mais complicado, os arsenalistas passaram para a frente e acabaram golearam o Lodz por 6-0. Conquistando a liga dos campeões de futebol de praia pela terceira vez.

O Braga entrou bem na final e deu os primeiros avisos aos três minutos. Rafael Padilha foi quem começou a ameaça à baliza polaca e instantes depois foi a vez de Jordan e Léo Martins colocarem Slowinski à prova. O Lodz respondeu e através de um forte remate, Jordan obrigou Padilha a defesa apertada. 

Numa partida bastante dura, Braga e Lodz lutavam pela posse do esférico sempre no limite. Algo que acabava por originar muitos livres, mas que pouco ou nenhum levavam a cada uma das balizas. 

Mais forte do ponto de vista técnico-tático, os bracarenses procuravam um estilo de jogo mais pausado e pensado, mas estavam com dificuldades em entrar da defesa do conjunto polaco que, mal se apanhava com a bola nos pés, tentava visar a baliza minhota.

A cerca de dois minutos e meio do intervalo, uma perda de bola de Filipe quase deu golo do Lodz, mas Padilha esticou-se todo e defendeu o remate de Krawczyk. Pouco depois, na sequência de uma reposição lateral, os polacos voltaram a criar perigo, mas o lançamento de Madani foi travado pelo guardião do Braga. Conjunto que, passados alguns segundos, só não marcou porque Jordan tirou o pão da boca a Jordan Santos.

Já dentro do último minuto, através de um remate de Slowinski, o Lodz quase abriu o marcador, mas nem mesmo depois da insistência de Kubiak, a formação polaca conseguiu marcar. No último lance dos doze minutos iniciais, Bokinha ficou a milímetros de concretizar, mas o remate acertou em cheio no poste esquerdo de Slowinski.

Finalizado o primeiro período, o marcador indicava um empate a 0-0 entre Braga e Lodz. Resultado que se aceitava, tendo em conta as poucas reais oportunidades de golo construídas e o estilo de jogo muito quezilento imposto pela equipa polaca.

Jordan Santos foi considerado o MVP da Euro Winners Cup de 2019
Fonte: Beach Soccer Photo Archive

O Lodz entrou na segunda metade a querer marcar e foi por muito pouco que, através de um remate de longe, Paulinho não o conseguiu. Não marcaram os polacos marcaram os bicampeões europeus. Bom lance coletivo e na sequência de um passe aéreo de Léo Martins, Bokinha cabeceou para o 1-0. Na correspondente jogada de saída, o Lodz quase restabeleceu a igualdade, mas Gac rematou à barra da baliza arsenalista. 

Na frente do marcador, os minhotos melhoram a sua confiança e rendimento. Assim, as chances de finalização começaram a surgir com mais frequência e qualidade. Porém, o esférico teimava em voltar a entrar. Por outro lado, a força e a vontade demonstradas, pelo Lodz até ao momento do golo desapareceram, o que permitiu ao Braga controlar a partida a seu belo prazer. 

Com pouco mais de cinco minutos para se jogar até nova pausa, os bracarenses beneficiaram de um livre em zona extremamente favorável, mas Filipe acabou por rematar bem por cima da baliza de Swidnicki. Volvidos alguns instantes, foi a vez de Jordan quase ter marcado. Todavia, o seu remate de bicicleta sofreu um ressalto na areia, bateu no poste e acabou nas mãos de Swidnicki. Segundos depois, Paulinho voltou a fazer uso da meia distância, mas Padilha estava atento e impediu o golo do Lodz. 

A ação não parava e com o relógio a indicar dois minutos e quarenta e um segundos para o intervalo, Paulinho cometeu uma falta sobre Filipe para grande penalidade. Novamente com uma enorme chance para marcar, Filipe ganhou muito balanço, mas areia fez das suas. No entanto, mesmo que a areia da Praia do Norte não tivesse entrado em jogo, Swidnicki tinha adivinhado o lado para qual o número dois dos minhotos tinha rematado.

Terminado o segundo período, o Braga vencia o Lodz por 1-0. Vantagem justa, mas que poderia e devia ser mais volumosa, nem que seja pelas duas bolas paradas, em zona extremamente favorável, desperdiçadas por Filipe. Os polacos pouco ou nada conseguiram fazer, com as suas melhores oportunidades a terem surgido através de remates de meia distância. 

As espanholas do AIS Playas de San Javier venceram a Euro Winners Cup Feminina
Fonte: Beach Soccer Worldwide

O derradeiro período começou da melhor maneira possível para o Braga, pois logo na jogada de saída, Jordan aproveitou um bom passe de Bokinha para disparar forte e fazer o 2-0. Passados alguns minutos, o Lodz construiu a sua melhor jogada até então, mas Gac não conseguiu dar seguimento a um passe de Pozniak.

Sempre no controlo de todas as incidências ocorridas no estádio do Viveiro, o Braga geria e circulava o esférico, fazendo o tempo passar sem que o Lodz conseguisse chegar perto da sua baliza. 

A cerca de sete minutos e meio do fim, os minhotos acabaram praticamente com o encontro, através de um golo do até então azarado Filipe que, só com Swidnicki pela frente, rematou cruzado para o 3-0. Pouco depois, Jordan tentou uma iniciativa individual, conseguiu rematar, mas Rafael Padilha impediu o golo do número oito do Lodz.

Com o marcador a indicar quatro minutos pata o final, Paulinho cometeu uma falta que resultou em livre perigoso em zona frontal à baliza de Swidnicki. Botelho, chamado a marcar a bola parada, rematou rasteiro e colocado, mas foi com uma ajuda fundamental da areia que conseguiu fazer o 4-0 e acabar, definitivamente, com as contas do jogo. Passados cento e vinte segundos, Bê Martins apanhou-se isolado perante Swidnicki e não falhou, tendo feito o 5-0.

A trinta e quatro segundos do fim, Bê Martins seguia sozinho para a baliza polaca, mas acabou por sofrer uma falta de Kubiak que viu um cartão vermelho direto. Com possibilidade de fechar a final com chave de ouro, o número dez dos irmãos Martins rematou colocado e assinou o 6-0.

Concluída a final, o Braga goleou o Lodz por claros 6-0 e confirmou a conquista do terceiro título de campeão europeu de forma consecutiva. Num encontro em que a vitória bracarense nunca esteve em causa, a única dúvida era quando a formação arsenalista ia marcar o primeiro e depois os tentos que confirmassem o triunfo. O que acabou por acontecer somente no derradeiro período onde, mesmo não jogando muito bem, foi eficaz e aproveitou as oportunidades de que dispôs para avolumar o resultado.

Assim, pelo terceiro ano seguido, o Braga venceu a Euro Winners Cup e sagrou-se campeão europeu de futebol de praia. Juntando este triunfo ao conseguido no Mundialito de Clubes no passado mês de fevereiro. 

Os comandados de Bruno Torres, o jogador, treinador e capitão dos minhotos, realizaram uma competição irrepreensível, tendo vencido os oito jogos em que participaram, marcado cinquenta e três golos e sofrido apenas 10. 

Este é o quarto troféu conquistado pelo Braga na Nazaré, depois das vitórias alcançadas na Euro Winners Cup nos anos de 2017 e 2018, triunfos aos quais se junta o Campeonato Nacional de 2018, cuja fase final também foi disputada do estádio do Viveiro. 

Na prova feminina, a vitória sorriu ás espanholas do AIS Playas de San Javier que venceram as compatriotas do Madrid por 2-0 no desempate nas grandes penalidades. Isto, depois de um empate 3-3 no tempo regulamentar e prolongamento.

O futuro da Euro Winners Cup ainda não é certo, dias depois de ter corrido o rumor que a mesma poderia mudar-se para o leste europeu, só falta a oficialização por parte das entidades para confirmar a continuidade da principal prova europeia de clubes de futebol de praia na Nazaré. 

EQUIPAS

SC Braga: 12-Rafael Padilha, 4-Bruno Torres (CAP.), 5-Jordan Santos, 10-Bê Martins e 11-Léo Martins; Jogaram ainda: 2-Filipe, 7-Bokinha e 13-Botelho; Banco: 1-Nuno Hidalgo (GR), 16-Miguel Pinheiro e 17-Zé Henrique

KP Lodz: 1-Slowinski (GR), 6-Poplawski, 8-Jordan, 10-Krawczyk (CAP.) e 20-Paulinho; Jogaram ainda: 12-Swidnicki (GR), 7-Kubiak, 9-Depta, 11-Madani, 14-Jesionowski, 15-Pozniak e 18-Gac

Anterior1 de 3Próximo

Comentários