Anterior1 de 3Próximo

O jogo de hoje entre Sport Lisboa e Benfica e Sporting Clube de Braga/Associação Académica da Universidade do Minho não teve muita história, não só pelos números finais mas também pela fraca produção ofensiva dos bracarenses, com poucos remates à baliza de Diego Roncaglio. Por falar em balizas, a do Braga esteve praticamente sempre bem guardada por Vitor Hugo, com apenas um erro no primeiro golo dos encarnados, da autoria do Robinho.

De resto, o guardião arsenalista não teve culpa nos golos e evitou uma vantagem ainda maior do Benfica com um punhado de grandes defesas. A primeira parte mostrou um Benfica a querer resolver cedo o encontro, perante um Braga a jogar na expetativa, mais concentrado em defender que a partir para contra-ataques rápidos. Assim sendo, o resultado ao intervalo espelhava aquilo que tinha sido o jogo, com três golos sem resposta a favor das águias, com dois golos de Fernandinho a juntar ao tento de Robinho, vantagem essa que podia ainda ser maior caso Vítor Hugo não estivesse tão eficaz nas defesas aos remates dos jogadores benfiquistas.

A segunda parte manteve a toada da primeira metade, com o SLB a tentar “matar” em definitivo o encontro e a tentar ampliar ainda mais a sua vantagem. Objetivo conseguido com brilhantismo, através de Robinho, que bisou na partida, e de golos de Rafael Hemni, Chaguinha e finalmente Fernadinho, que conseguiu completar um hat-trick e aumentar a vantagem para uns impensáveis sete zero. Antes do fim do encontro, os bracarenses ainda conseguiram um tento de honra, da autoria de Cássio.

Foi um jogo onde a vitória do SLB nunca esteve em causa, completando assim uma volta perfeita, com 13 vitórias em outros tantos jogos. Apesar deste deslize dos bracarenses, após uma série de cinco triunfos consecutivos, a presença na Taça da Liga já estava assegurada, juntando-se assim ao Sporting CP, MODICUS, AD Fundão, Leões de Porto Salvo, Elétrico de Ponte de Sor e Futsal Azeméis no início de 2019 em Sines.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários