Anterior1 de 2

A CRÓNICA: VISEU TEVE VITÓRIA NA MÃO, FUNDÃO MAIS PERDULÁRIO

A equipa sensação do início do campeonato, o Viseu 2001, recebeu um dos destaques da competição de Portugal nos últimos anos, o AD Fundão. À partida, os dois clubes encontravam-se ambas no quarto lugar, com 22 pontos (Fundão com menos um jogo).

Nos primeiros minutos, as equipas estavam mais preocupadas em não sofrer do que em encontrar caminhos para o golo. Contudo, à medida que os minutos foram passando, os jogadores soltaram-se e houve várias oportunidades para os dois lados abrirem o marcador.

Destaque para os da casa para a jogada individual de Russo, que passou por dois adversários e isolado perante o guarda-redes do Fundão atirou para defesa em mancha de Luan. Dos forasteiros, o desperdício não era menor. Num canto cobrado de forma rasteira por Mário Freitas, Meira à boca da baliza, só com Bruno Felipe pela frente, fez o mais difícil e atirou para fora.

As equipas cometeram vários erros na posse de bola a originarem contra-ataques perigosos do adversário e foi assim que surgiu o primeiro da partida. A 30 segundos do intervalo, Lucas Amparo aproveitou uma perda de bola de Pedro Senra que tentou ultrapassar um adversário e assistiu Russo que da direita não facilitou e pôs os viseenses em vantagem.

Anúncio Publicitário

Na segunda parte, o Fundão entrou com vontade de mandar o jogo de chegar rapidamente ao empate, mas sem conseguir criar oportunidades. O Viseu 2001 aproveitava os contra-ataques rápidos para respirar e levar perigo à baliza de Luan. A equipa da casa chegou mesmo ao segundo, numa jogada em que a defesa do Fundão ficou a ver navios.  Luan soltou-se de marcação e, perante o guarda redes adiantado, fez passar-lhe a bola por debaixo das pernas com Kiko junto ao poste esquerdo a parar o remate do colega e com calma ser ele a fazer o desvio final para a baliza. Os visitantes acabariam por reduzir a desvantagem, através de um canto marcado de forma rasteira pelo capitão Mário Freitas para Jair a não falhar no coração da área.

O golo do Fundão desestabilizou os viseenses que passaram a ficar remetidos na defesa e a cometerem falhas na posse de bola. Os visitantes acabariam por chegar ao empate através de uma falha na defesa dos da casa. Jair conseguiu intercetar o passe nas imediações da grande área dos da casa e só com o guarda-redes pela frente, bisou na partida.

Ritmo alucinante na partida com Rafa Stocker à beira do meio da segunda parte a aproveitar uma boa transição rápida do Viseu 2001 para colocar os viseenses na frente, com um remate rasteiro da esquerda, de fora da área. No entanto, não houve tempo para o marcador descansar, pois Meira restabeleceu a igualdade com um remate potente de fora de área, no minuto seguinte.

O Fundão estava lançado no ataque, com várias oportunidades para passar para a frente do marcador, mas foi o Viseu 2001 a chegar novamente à vantagem. Transição rápida da equipa da casa com Rafa Stocker a combinar com Daniel Ramos e este da esquerda a disparar rasteiro de fora de área para o 4-3.

Com a equipa viseense compacta na defesa e sem conseguir chegar ao empate, o Fundão apostou no último minuto e meio no guarda-redes avançado, com Mário Freitas a assumir a posição. A igualdade chegaria mesmo poucos segundos depois com Nem a aproveitar o mau alívio de Rafa Stocker dentro da área para fazer o 4-4.

O resultado acabaria por não se alterar, apesar das duas equipas terem tido oportunidade no último minuto para conseguirem ganhar a partida. O empate acaba por ser justo pela eficácia das transições do Viseu 2001 e pelo maior domínio do Fundão, mais na segunda parte.

A FIGURA

 

Ver esta publicação no Instagram

 

Uma publicação partilhada por AD Fundão Futsal (@adfundao)

Jair (AD Fundão) – Foi um dos dinamizadores do ataque organizado e de muitas das oportunidades do Fundão. Conseguiu marcar um golo e fazer uma assistência, mas podia ainda ter feito mais.

O FORA DE JOGO

Rafa Stocker (Viseu 2001) – Num jogo tão bem disputado, é difícil atribuir esta distinção. Rafa Stocker até fez um golo e uma assistência, mas foi ele que num mau domínio de bola permitiu ao Fundão empatar a partida no final de jogo. Não devia ter sido desatento, dentro da sua área defensiva.

ANÁLISE TÁTICA – VISEU 2001

Paulo Fernandes começou por apresentar o guarda-redes adiantado nas reposições de bola. Sem eficácia, corrigiu. Em vantagem, aproveitou através de contra-ataques para chegar à baliza do Fundão.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Bruno Felipe (7)

Pedro Peixoto (6)

Matheus (7)

Kiko (7)

Rafa Stocker (6)

SUBS UTILIZADOS

Russo (8)

Lucas Otanha (6)

Caio Santos (-)

Fábio Neves (-)

Ezequiel Reis (-)

Lucas Amparo (6)

Daniel Ramos (7)

Lukinhas (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – AD FUNDÃO

João Nuno tentou através de combinações e de ataque apoiado chegar à baliza adversário. No entanto, com uma estrutura defensiva viseense suficientemente, teve de abusar da meia distância e dos desequilíbrios individuais para criar perigo na baliza adversária, mas com riscos para a própria defesa.

CINCO INICIAL E PONTUAÇÕES

Luan (6)

Pedro Senra (7)

Guilherme Meira (6)

Nem (7)

Mário Freitas (7)

SUBS UTILIZADOS

Tiago Couto (-)

Costinha (-)

Rui Moreira (-)

Jair (8)

Peléh (7)

Juninho (6)

Felipe Leite (6)

Wilson Cabral (-)

Anterior1 de 2

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome