Cabeçalho modalidades

No passado fim de semana, realizou-se a 5°jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins. Se esta ronda de jogos não deu azo a que existissem quaisquer alterações no quarteto da frente, no resto do campeonato já começam a haver algumas novidades. Muito em virtude do final de uma fase, onde algumas equipas foram prejudicadas pelo dito sorteio condicionado.

SC Tomar-FC Porto

O jogo de abertura da jornada, colocou frente a frente o tomar e o porto, que os comandados de Cabestany apenas conseguiram vencer por 3-1. O encontro teve uns primeiros minutos bastante equilibrados onde, tanto o Tomar como o Porto, poderiam ter marcado, mas Nuno Peça e Nelson Filipe não permitiram o inaugurar do marcador. Com o passar do tempo, e com maior possibilidade de refrescar os jogadores, mantendo a qualidade dos mesmos, o Porto foi ganhando maior ascensão na partida e, pouco antes do intervalo, conseguiu chegar à vantagem com um golo de Telmo Pinto.

A jogar em casa e com o pavilhão bem composto, o conjunto nabantino foi à procura do golo e aos 10 minutos, da segunda parte, empatou o jogo. Logo a seguir, dispôs da décima falta do Porto, mas Ivo Silva não conseguiu concretizar. Apenas nos últimos minutos da partida, o porto garantiu os três pontos. Primeiro, com um golo de Reinaldo Garcia quando o tomar estava em inferioridade numérica e, em segundo, com o 3-1 de Jorge Silva a 10 segundos do fim.

Anúncio Publicitário

Riba d’Ave-Sporting CP

Superioridade. Este foi um elemento em evidência a favor do Sporting, para todos os que encheram o pavilhão das Tílias. No final dos primeiros vinte e cinco minutos, o conjunto leonino já vencia por 3-0, com golos de Pedro Gil, Caio e Poka. A segunda parte começou com o Sporting a fazer o 4-0, por intermédio de Ferrant Font.
A ser goleado por 4-0, o Riba d’Ave reagiu e ainda conseguiu reduzir até 4-2, em virtude de um bis de Vítor Hugo Moreira. No entanto, a equipa de Vila Nova de Famalicão ainda podia ter assustado mais o Sporting, mas acabou por desperdiçar quatro livres direitos e uma grande penalidade.

OC Barcelos-AD Valongo

Um dos principais encontros da jornada onde estavam, frente a frente, duas das várias equipas que tiveram um início de campeonato bastante complicado, devido ao sorteio condicionado. No pavilhão Municipal de Barcelos, completamente cheio, a equipa da casa rapidamente chegou ao 2-0, com golos dos jovens Alvarinho e Vieirinha. Miguel Viterbo, treinador do Valongo, não estava nada contente com o início de jogo da sua equipa e pediu o time out a que tinha direito, o que veio trazer alterações ao encontro. Não é de estranhar, então, que o Valongo tenha reduzido o marcador com um golo de Hugo Pereira. No entanto, o Barcelos respondeu e Luís Querido fez o 3-1 e o resultado registado ao intervalo.

Na segunda parte, o Valongo entrou crente no empate e voltou a reduzir o resultado com um golo de João Guimarães. Logo a seguir, na sequência de um azul visto por Zé Costa, Hugo Pereira bisa e empata a partida.
Com o jogo empatado, ambas a equipas foram à procura do golo que lhes garantisse os 3 pontos, mas, tanto Ricardo Silva como Leonardo Pais, estiveram em grande. Todavia, o golo haveria mesmo de surgir e para a equipa da casa. Alvarinho aproveitou um livre direto, corresponde à 15° falta do Valongo para fazer o 4-3 final.

Valença HC-AD Sanjoanense

Jogo entre equipas do campeonato da manutenção, que acabou por sorrir aos da casa por 5-4.
Foi a equipa do Valença a começar melhor e, com um endiabrado Zé Braga, rapidamente chegou ao 3-0, mas o Sanjoanense não sei deixou ficar e, em poucos minutos, Diogo Casanova e Pedro Cerqueira reduziram a desvantagem para 3-2. Desta vez, foi o Valença a reagir e Luis Viana levou a sua equipa a vencer por 4-2 para o intervalo. O jovem Diogo Casanova também estava em grande e, em dez minutos, empatou a partida. Sempre muito equilibrado, o jogo acabou por cair para o lado do Valença, onde Luis Viana voltou a vestir a pele de herói ao marcar o quinto e, último golo, que garantiu a vitória da equipa da casa.

Foi perante uma boa assistência que o SC Tomar vendeu cara a derrota ao FC Porto Fonte: Sporting Clube de Tomar
Foi perante uma boa assistência que o SC Tomar vendeu cara a derrota ao FC Porto
Fonte: Sporting Clube de Tomar

Candelária SC-CD Paço de Arcos

Mais um jogo entre equipas que lutam para não descer, com o Candelária a conseguir levar a água ao seu moinho, visto que alcançou mais três pontos, devido a ter vencido o encontro por 2-0.

Após uma primeira parte sem golos, o Candelária conseguiu abrir o marcador aos oitos minutos da segunda parte, em virtude de um golo de Alan Fernandes. Passado cerca de um minuto e Pedro Afonso fez o 2-0 final, num jogo onde nem o Candelária ou o Paço de Arcos tivesse conseguido aproveitar lances de bola parada.

HC Turquel-UD Oliveirense

Num jogo que se adivinhava equilibrado, a Oliveirense acabou por sair com uma confortável vitória da Aldeia do Hóquei, por 7-3. O Turquel entrou melhor e conseguiu chegar á vantagem com um golo de Tiago Pimenta. Porém, Pablo Cancela empatou o jogo a sete minutos do fim da primeira parte, fazendo com que chegado o intervalo, o encontro fosse igualado.

No segundo tempo, foi André Pimenta a voltar a colocar o Turquel na frente ma minutos depois, Pedro Moreira fez o 2-2. Pouco depois, a Oliveirense passou para a frente do marcador, com um golo de Bargalló. Contudo, passado pouco tempo, o Turquel voltou a empatar o jogo, em virtude de um golo de Vasco Luís. A partir daqui só deu  Oliveirense. Jordi Bargalló, por duas vezes, Nuno Araújo e Pablo Cancela, estes últimos dois de livre direto, colocaram o marcador final em 7-3.

Juventude de Viana-SL Benfica

De loucos. É desta forma que se pode descrever o jogo que se disputou em Viana do Castelo, no passado fim de semana. O Benfica entrou melhor na partida e, rapidamente, chegou a uma vantagem de 2-0, devido a um golo de Miguel Rocha e outro de Nicolia. Até ao intervalo, o Viana sempre em crescimento, com o passar dos minutos conseguiu reduzir para 2-1, com um golo de Nuno Santos.

Os segundos vinte e cinco minutos deixavam água na boa e, quem assistiu, não se pode queixar de falta de emoção. A meio da segunda parte, o Viana chegou ao empate por Diogo Fernandes, mas, de seguida, o João Rodrigues repôs a vantagem encarnada, através de uma grande penalidade. O jogo estava de parada e reposta e, pouco depois, a Juventude voltou a empatar com um golo de Tó Silva, que aproveitou um livre direto a sancionar a 10ª falta do Benfica.

Com o empate, a 3-3, o jogo tornou-se imprevisível, com qualquer uma das equipas perto de marcar, mas seria a equipa da casa a aproveitar um contra-ataque e por Francisco Silva ficou, pela primeira vez, na frente do marcador. Numa situação parecida com a que tinha enfrentado na receção ao Barcelos, respondeu com uma pressão impressionante, que colocou imensas dificuldades ao Viana. Em conjunto com esta enorme pressão, surgiu o génio de Nicolia que com um enorme gesto individual fez o 4-4.

Até ao final, ambas as equipas tiveram oportunidades para vencer, mas a estrelinha de campeão voltou a sorrir ao Benfica, com um golo de grande penalidade polémica, mas bem assinalada, assinado por João Rodrigues que fez o 5-4 final.

Foto de capa: Barcelos Popular