No outro dia, vi nas redes sociais algo com o qual me identifiquei. Muito resumidamente, os Jogos Olímpicos estão cada vez mais próximos e os portugueses vão exigir medalhas aos atletas do seu país. Como há uma grande possibilidade de os atletas olímpicos não trazerem nenhuma (ou poucas) medalhas, o cidadão normal acabará por ficar “chateado” com as prestações dos atletas. Por fim o último ponto era que este acontecimento desportivo (um dos maiores a nível global) iria ser falado por poucos meses e desapareceria muito rapidamente, voltando à típica luta do futebol.

E quem fala dos Jogos Olímpicos fala também dos Paralímpicos… Mediatismo? Zero. Se conhecemos quem são os atletas que participaram ou participam? Provavelmente, nem 5% dos portugueses devem saber um atleta (e este dado estatístico até deve ser bastante otimista). São atletas como todos os outros e merecem o devido destaque tanto quando participam, como quando vencem alguma medalha.

Por isso, como, infelizmente, poucos percebem aquilo que os atletas olímpicos e paralímpicos passam ao longo da sua carreira e até mesmo para chegar a uma competição como é os Jogos Olímpicos ou os Jogos Paralímpicos, decidi “pregar” aos peixes (para todos os incompreendidos), se bem que até nem esses (os peixes mesmo) possivelmente devem compreender, mas tentaremos…