O PRIMEIRO SET GANHO COM SABOR A DESPEDIDA

Portugal enfrentava a Bélgica no quarto jogo do Grupo B e as coisas não começaram muito famosas na partida.

No primeiro set, as jogadoras portuguesas não estava a conseguir ultrapassar o bloco belga, que estava muito coeso e foi uma das armas usadas pela equipa. Ainda assim, o jogo continuava muito equilibrado em termos de resultado. Estávamos um 7-5 a favor da Bélgica. Quem estava muito interventiva no jogo era Bárbara Gomes, que foi muito solicitada pelas companheiras nestes minutos iniciais.

Para além do bloco, as belgas estavam a explorar muito bem os amortis, pois a seleção lusa não estava próxima em campo e acabava por não conseguir ajudar o bloco quando isto acontecia. Depois do equilíbrio, a Bélgica distanciou-se do marcador com um 14-7.

A seleção de Van de Broek descobriu as debilidades portuguesas e iam aproveitaram isso. Porém, as jogadoras lusas surpreenderam em muitas das jogadas. Ainda assim, o primeiro set acabou por ser ganho pela Bélgica por 25-13 e fez assim o 1-0 em sets.

Anúncio Publicitário

O segundo set trouxe o melhor set de todo o Europeu por parte das nossas jogadoras. Portugal melhorou muito em termos defensivos e conseguiu anular a vantagem belga em diversos aspetos. Quando parecia que a Bélgica iria distanciar-se novamente no marcador a surpresa surgiu em pleno Atlas Arena.

A seleção de Francisco Santos conseguiu passar para a frente do set quando fez o 18-17 e chegou a ter uma vantagem de quatro pontos (22-18). Uma dupla substituição quase fez Portugal perder o set, ficando empatado a 23 pontos. Porém, as lusas acabariam por vencer o set por 26-24 – O primeiro set (!) deste EuroVolley para Portugal. Estava feita a igualdade a um em sets.

A número dez da seleção portuguesa, Marta Hurst, foi uma das jogadoras em destaque na vitória do set português
Fonte: CEV

De destacar a prestação de Marta Hurst e Bárbara Gomes. Ambas as jogadoras estiveram muito bem neste set e contribuíram, e muito, para que fosse ganho. Uma grande réplica das portuguesas contra uma das melhores equipas do mundo, a Bélgica.

Contudo, esta vitória de set teve tudo de bom… e de mau. As jogadoras portuguesas ganharam muita motivação e conseguiram materializar isso em pontos logo no set seguinte. Mas, as belgas a meio do terceiro set não perdoaram e conseguiram distanciar-se. Abriram uma vantagem de quatro pontos e nunca mais Portugal conseguiu reduzir a desvantagem.

Voltavam os erros defensivos a vir ao de cima e as jogadoras belgas aproveitavam. Os blocos tardios portugueses e os amortis da seleção belga foram os grandes motivos desta vantagem e consequente vitória no set. Era o 2-1 a favor da Bélgica.

Portugal para ainda sonhar com a passagem tinha de vencer os próximos dois sets e até começou bem, mas foi só mesmo isso. As jogadoras portuguesas começaram com um parcial de 4-0, mas depois desta grande vantagem foi a descambar. Quando a Bélgica ficou à frente do set (8-7) já não foi possível alcançar nunca mais – nem sequer o empate.

O cansaço físico acumulado já era nítido nas atletas lusas e as belgas iam aproveitando este fator. Francisco Santos viu que o set, e o jogo, perdido e começou a dar tempo a jogadoras menos utilizadas, como é o caso de Maria Lopes, de apenas 17 anos. A Bélgica venceu o quarto set por 25-11 e também o jogo por 3-1.

Este foi, sem dúvida, o jogo em que a seleção portuguesa esteve melhor neste EuroVolley. Há que tirar conclusões muito positivas deste jogo contra a Bélgica porque houve pormenores muito bons. E acredito que a experiência neste Europeu só vai oferecer ao voleibol português coisas positivas. Um jogo emocionante e parabéns, equipa, porque deram o vosso melhor – eu sei que sim.