Foi no Estádio da Luz que se deu início aos trabalhos de pré-temporada 2018/2019. Rui Vitória e os seus pupilos fizeram uma série de treinos à porta fechada, até ao dia em que decidiram abrir as portas da Catedral para o público em geral poder ver mais de perto os seus craques favoritos e as novas contratações.

Após este treino à porta aberta, o Sport Lisboa e Benfica disputou o Torneio do Sado, no Estádio do Bonfim, jogando primeiro contra o FK Napredak e, depois, contra o Vitória FC. Uma vitória (3-0) no primeiro jogo e um empate (1-1) no segundo valeram a conquista deste torneio. É sempre bom começar com um troféu – ainda que seja de pré-época –, de forma a aumentar os índices competitivos e a moral dos jogadores. Por mais que os jogos sejam de preparação e sirvam para observar jogadores, rotinar processos ou mesmo testar soluções, o espírito de conquista tem de estar sempre presente, pois é esse que servirá de base para toda a temporada.

Nestes dois jogos, já pudemos ter uma ideia dos jogadores que temos no plantel e em que ponto estão os processos da equipa. Em seguida, passo a enunciar aqueles que foram, para mim, os maiores destaques:

André Ferreira – foram somente 45 minutos de competição contra o FK Napredak, mas foram minutos suficientes para perceber que temos aqui um guarda-redes de qualidade. André Ferreira esteve na temporada passada emprestado ao Leixões SC e fez uma temporada de qualidade na baliza dos “Bebés do Mar”. Trata-se de um guarda-redes com reflexos bastante apurados, corajoso, de reacção rápida e lesto a sair da baliza, controlando bem a profundidade e reduzindo o ângulo de remate ao adversário. Para mim, seria a terceira opção para a baliza, depois de Mile Svilar e Odysseas Vlachodimos, mas o mais provável é terminar novamente emprestado ou na Equipa B.

Anúncio Publicitário

Alfa Semedo – o médio-defensivo de 20 anos chegou do Moreirense FC e tem-se questionado se estará à altura do desafio de ser a sombra de Ljubomir Fejsa, após a mais que provável saída de Andreas Samaris. De facto, é uma posição bastante importante na equipa, principalmente porque Fejsa volta e meia tem algumas limitações físicas, no entanto, isto não parece ser um impedimento para o jovem luso-guineense. Nos minutos que fez, mostrou alguns pormenores bastante interessantes, nomeadamente a sua forte ocupação dos espaços através de um acertado posicionamento em campo, bem como uma capacidade de saída de bola que pareceu ser de qualidade, encontrando espaços para os colegas, seja por intermédio de passes curtos ou longos. Precisa de mais minutos, para comprovar as boas indicações que deixou.

Gedson Fernandes – o jovem médio luso-santomense tem sido o grande destaque do SL Benfica. Tem sabido aproveitar a lesão de Filip Krovinovic para ir superando expectativas e cimentando o seu lugar no plantel. Gedson fez 45 minutos no primeiro jogo e 84 minutos no segundo e encheu totalmente o campo com a sua qualidade, capacidade técnica, leitura de jogo (tanto defensiva como ofensivamente), inteligência e pulmão. Não há que ter receio de dizer que este jovem de 19 anos está no bom caminho para entrar nas contas do onze inicial de Rui Vitória.

Gedson Fernandes tem sido um dos grandes destaques desta pré-temporada 2018/2019
Fonte: SL Benfica

Pizzi – o transmontano tem sido o grande assistente dos golos marcados nesta pré-época, mas não podemos resumir a sua qualidade aos números. Pizzi passou grande parte dos dois jogos disputados na ala direita e, para mim, é aqui onde ele poderá render mais. Não tendo de se preocupar tanto em fechar o espaço central, Pizzi pode jogar mais solto e evidenciar a inteligência das suas movimentações e desenho de jogadas, através de combinações com o lateral, médios e avançados. Pode jogar na ala, mas a sua influência no jogo da equipa não passa despercebida.

João Félix – a grande jóia do Caixa Futebol Campus faz parte dos trabalhos de pré-temporada da equipa principal, o que leva a crer que a sua utilização nesta nova temporada será uma certeza. Apesar de Rui Vitória o ter colocado a jogar descaído na esquerda – que não é onde ele se poderá tornar mais efectivo –, Félix tem correspondido e deixado água na boca para o que poderá vir. Procura associar-se a si e aos colegas nas jogadas, aparece entre-linhas, procura tabelar de forma a ultrapassar mais facilmente os adversários, desequilibra através de movimentações… Félix tem mostrado todo o seu talento e será, certamente, uma das apostas para esta nova temporada.

Facundo Ferreyra – o argentino já se estreou a marcar de águia ao peito, assinando o golo do SL Benfica no jogo contra o Vitória FC. Ainda procura integrar-se na manobra ofensiva da equipa, mas já se vai notando aqui e ali algumas movimentações de sua parte que mostram que estamos perante um excelente jogador. Será ele, muito provavelmente, quem irá fazer dupla com Jonas nos jogos a contar.

Jonas – quem mais? O nosso “velhinho” é o maestro, sendo o grande responsável pela construção das melhores jogadas de ataque. Quando acompanhado na frente, tem-se notado um Jonas a vir buscar mais jogo a meio-campo e isso poderá trazer bastantes benefícios à fluidez de jogo da equipa. Continua a ser o nosso melhor jogador, de longe.

Apesar de todos estes destaques, há algo que transita da temporada passada e que continua a não agradar de todo, que é a notória falta de processo de jogo. No embate contra os sérvios do FK Napredak fomos bastante superiores, devido ao desnivelamento de qualidade entre as duas equipas, mas contra o Vitória FC é que foi exposta esta incapacidade que teima em ser recorrente. Rui Vitória continua a entregar o destino dos jogos à capacidade individual dos jogadores, sem perceber que nem sempre isso é suficiente.

Estamos a poucas semanas do primeiro jogo oficial e, em termos colectivos, continuamos sem mostrar garantias. Há que ter noção da importância que é este primeiro jogo, pois trata-se de uma das pré-eliminatórias que o SL Benfica terá de disputar para garantir o acesso à Fase de Grupos da Liga dos Campeões. E todos sabemos da importância que é estar nessa competição.

Por agora, iremos começar um ciclo de jogos de preparação onde o nível das equipas irá aumentar substancialmente: Sevilla FC, Juventus FC, BV Borussia Dortmund e Olympique Lyonnais. É aqui que Rui Vitória terá de mostrar que a equipa está preparada para a época que terá pela frente.

Foto de Capa: SL Benfica